Siga-nos!

estudos bíblicos

Tishá BeAv – A destruição dos templos de Jerusalém

Estudo bíblico histórico sobre a destruição dos templos em Jerusalém, capital de Israel.

Alexandre Dutra

em

Arco do Triunfo de Roma. (Foto: Wikipedia)

O quê se comemora em Tishá B’Av? Nada! Não há o que comemorar nessa época. Tishá B’Av (Nove de Av) é tempo de jejuar, chorar e lamentar a destruição do Beit Hamikdash, primeiro e segundo Templos de Jerusalém, coincidentemente destruídos na mesma data – o primeiro por Nabucodonosor (586 a.C.) e o segundo por Tito (70 d.C.).

É, também, tempo de reflexão coletiva e pessoal sobre as razões que levaram o Eterno Deus de Israel a abandonar seu povo e sua santa cidade à sorte dos gentios.

A data de Tishá B’Av está baseada na passagem do profeta Jeremias que diz: “No quarto mês, aos nove dias do mês, quando já a fome prevalecia na cidade, e o povo da terra não tinha pão” (Jr.52:6).

Esse ano, no calendário solar, será no entardecer do dia 10 até o entardecer do dia 11 de Agosto. Os relatos da conquista e da destruição da cidade de Jerusalém e do templo estão registrados em Jeremias 52, Lamentações 2 e 2 Reis 24 e 25.

O período das três semanas anteriores à Tishá B’Av é conhecido por Bein HaMeTzarim (“entre os estreitos”), porque diz o livro de Lamentações 1:3: “e seus perseguidores a tomaram entre os estreitos”, referindo-se aos eventos funestos que recaíram sobre os judeus entre 17 de Tamuz e 9 de Av.

As calamidades de 9 de Av (Jr.52:6)

O Talmud registra os eventos lamentáveis que ocorreram nesta data:

  1. decreto de que Israel deveria vagar pelo deserto por quarenta anos;
  2. a queda da fortaleza de Betar (a última fortaleza a resistir aos romanos durante a Revolta de Bar Kochbá, vencida no ano de 135 d.C., selando o destino do Povo Judeu);
  3. a subsequente queda de Bar Kochbá e o massacre de seus companheiros; e 4) a destruição de Jerusalém por Adriano, em 135 d.C. (Taanit 26b – apud. LAMM, 1999, p.371).

Foi em 9 de Av que ocorreu a promulgação do decreto de expulsão dos judeus da Inglaterra (1290); e em 1492, o Rei Ferdinando da Espanha emitiu o decreto de expulsão, marcando Tishá B’Av como prazo final para que não houvesse um único judeu em território espanhol.

Ainda, a 1ª Guerra Mundial iniciou-se em Tishá B’Av, bem como iniciaram-se as deportações dos judeus do Gueto de Varsóvia.

Anterior1 de 5
Use ← → (setas) para ler mais

Pastor Batista, Diretor dos Amigos de Sião, Mestre em Letras - Estudos Judaicos (USP).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Trending