Siga-nos!

escatologia

As 7 igrejas do Apocalipse

Éfeso, Esmirna, Tiatira, Sardes, Pérgamo, Filadélfia e Laodicéia.

em

Igreja
Igreja antiga (Foto: Reprodução/Unsplash)

Toda pessoa que escreve uma carta, tem como intenção uma pessoa ou um grupo de pessoas como destinatário, e a carta de Apocalipse não foi diferente. Apocalipse como já sabemos, foi uma revelação dada por Jesus ao apóstolo João, que deveria escrever tudo que estava recebendo da parte divina e entregar para o destinatário que Cristo ordenou.

Mas quem seria esse, ou esses destinatários dessa carta?

Tal carta foi escrita tendo como destinatário sete igrejas cristãs da Ásia Menor e seu mensageiro local deveria ler toda a carta em cada umas dessas sete comunidades, para que seguissem fiéis a Deus e se portassem de modo digno até a volta de Cristo, para que em hipótese alguma perdessem a salvação.

Vale ressaltar aqui, que quando vemos na Bíblia a palavra igreja, é uma referência a um grupo de pessoas cristãs e não a um templo.

O apóstolo Paulo em suas cartas bem já ensinou que igreja é o corpo de Cristo na terra, onde cada cristão é um membro desse corpo. A Igreja, com todos os cristãos ao redor do planeta é como se fosse o próprio Jesus amando, pregando e libertando pessoas através das pessoas que entregaram sua vida a Ele e assim se tornaram cristãos.

Não é possível um cristão sozinho ser Igreja, como muitos dizem, pois um cristão sozinho é apenas um membro desse corpo, por isso bem disse Jesus que sua presença estaria onde tivesse “dois ou três reunidos em nome dEle”

Evidente que Deus se revela de modo individual para cada cristão, mas determinadas experiências, sinais e revelações são dadas pelo divino somente para a Igreja, ou seja, onde tiverem 2, 3, 20, 50, 100, 500 pessoas ou mais reunidas em seu nome.

Essas estruturas com uma cruz no telhado que chamamos de Igreja de modo errôneo, não passa de um espaço físico que é usado pelos cristãos, que são a verdadeira igreja, para cultuarem a Deus e ali servirem uns aos outros para crescimento espiritual através do louvor, comunhão e ensino da palavra. Tendo estruturas ou não tendo estruturas, qualquer lugar que um grupo de cristãos se reunir, faz daquele lugar um templo de adoração a Jesus.

Sabendo disso, quando aprendemos que João deveria enviar a carta de Apocalipse para 7 igrejas, era então, para 7 grupos de cristãos que possuíam um espaço de reunião, que certamente seria a casa de alguma pessoa e que estavam sendo lideradas e pastoreadas por alguém abençoado e liberado pelos apóstolos da época!

Sabemos que existiam várias outras igrejas, além dessas 7, como as igrejas de Galácia, Corinto, Tessalônica, etc… então porque Apocalipse foi destinado para apenas essas 7 igrejas?

Certamente porque eram 7 igrejas que estavam debaixo da liderança, pastoreio e apostolado de João e também as que mais próximas estavam dos ataques cruéis e covardes do Império Romano! Outra coisa precisamos entender aqui é que o número 7 representa a totalidade e a perfeição de Deus, por isso, ao ser destinado para 7 igrejas, era o mesmo que dizer “para toda Igreja de Cristo de todas as gerações até a volta de Jesus”.

Cada uma dessas igrejas, portanto, estavam situadas em sete diferentes cidades. As cidades eram: Éfeso, Esmirna, Tiatira, Sardes, Pérgamo, Filadélfia e Laodicéia.

Iremos trabalhar cada uma dessas Igrejas e sua mensagem direcionada a elas nos próximos capítulos.

No momento, é importante entendermos que, o Apocalipse não foi escrito para não cristãos ou pessoas de outras religiões, mas foi escrito totalmente e exclusivamente para pastores e cristãos daquela época, como também para todas as gerações que surgiram depois deles, até os nossos dias que estamos vivendo! Apocalipse é uma carta de Jesus enviada a nós sua Igreja, que são todos os cristãos ao redor do mundo e tem como objetivo nos ensinar sobre os tempos finais, nos advertir para sempre vivermos em santidade e nos preparar para a tão sonhada e aguardada volta de Jesus.

Na época de João os romanos gostavam de cumprimentar uns aos outros dizendo “graça” e os judeus gostavam de dizer uns aos outros “shalom”, ou seja, paz! Por isso João diz para os cristãos em Apocalipse que a graça que os Romanos não tinham por se prostrar a um imperador pecaminoso e não a Cristo e a paz que os judeus não tinham, porque rejeitavam Jesus como Deus, estava sendo entregues totalmente e exclusivamente aos cristãos que fizeram de Jesus seu imperador e sua própria paz interior.

João novamente afirma que JESUS era o próprio Deus e não mais uma criatura criada, Ele não apenas existia, pois só existe quem nasce, mas Jesus sempre existiu e apenas foi enviado ao mundo para nascer em formato humano, sem deixar sua divindade, por isso o apóstolo disse ser ele aquele que É, ou seja, não passou a existir, ele É e está presente com seu povo em qualquer circunstância que eles tiverem que passar; aquele que era, que sempre esteve ao lado do Pai antes mesmo da fundação do mundo e aquele que há de vir, ou seja, que um dia irá voltar à terra e levará sua Igreja para os céus eternos, onde desfrutarão para sempre de sua presença e de suas bênçãos divinas!

Muitos afirmam, baseado em condições da tradição cristã, que os 7 espíritos diante do trono, não seriam 7 espíritos de fato, pois existe apenas o Espírito Santo e o espírito do homem, sendo que o restante das criações sobrenaturais são anjos, fazendo parte dessa lista inclusive Satanás os demônios que são anjos caídos.

A história cristã prefere afirmar que esses sete espíritos seriam uma referência ilustrativa das palavras do profeta Isaías que disse:

“O Espírito do Senhor repousará sobre ele, o Espírito que dá sabedoria e entendimento, o Espírito que traz conselho e poder, o Espírito que dá conhecimento e temor do Senhor. E ele se inspirará no temor do Senhor. Não julgará pela aparência, nem decidirá com base no que ouviu; mas com retidão julgará os necessitados, com justiça tomará decisões em favor dos pobres. Com suas palavras, como se fossem um cajado, ferirá a terra; com o sopro de sua boca matará os ímpios.” (‭‭Isaías‬ ‭11:2-4)‬ ‭

Tal palavra do profeta vai ao encontro da visão dos sete espíritos que baseado nesse texto refletem 7 atributos de Jesus que é sábio, inteligente, conselheiro, poderoso mestre, obediente e juiz.

Jesus é o alfa e omega, ou seja, a primeira e última letra do alfabeto grego, tão conhecido na época! Esse Jesus é aquele que pode salvar e transformar a vida de qualquer um que se entregar a ele, fazendo dessa pessoa um sacerdote cristão, ou seja, que serve a Jesus e o mundo todo usando seus dons e aptidões para contribuir com o avanço do Reino de Deus na terra! Jesus é aquele que um dia, todos verão sobre as nuvens e chorarão por ver Ele voltando, uns chorarão de alegria por saberem que serão salvos eternamente e outros chorarão de desespero por saber que não aproveitaram as oportunidades que tiveram para entregarem sua vida a Cristo e por isso serão condenadas eternamente ao inferno eterno.

Você pode gostar
Será que o público entende quando você prega?
Adquira o curso que é focado em desenvolver e destravar a Oratória de futuros Líderes Cristãos.
SAIBA MAIS! »

Termine o ano memorizando a Bíblia!
Memorize os livros da Bíblia e suas passagens de um jeito super dinâmico. Fortaleça sua fé para comunicar a Palavra de Deus do jeito fácil!
SAIBA MAIS! »

Se capacite em administrar melhor suas finanças!
Veja como você pode ser mais próspero financeiramente à luz da Palavra de Deus.
SAIBA MAIS! »

Pastor da Igreja Aviva Panambi, Bacharel em Teologia, Pós Graduado em Liderança Exemplar, especialista em Aconselhamento Pastoral e Libertação e Cura, Escritor com dois livros lançados, Músico e Compositor. É casado com Cíntia Stürmer e pai do Benjamin e Natanael.

Trending