Siga-nos!

cosmovisão

Solidão, mulher e redes sociais

A solidão envolve e persiste na vida da pessoa apesar dos melhores esforços para eliminá-la.

em

Mulher com depressão
Mulher sozinha (Foto: Reprodução/Freepik)

O contato diário com as mulheres mostra a necessidade de escrever sobre o tema. Existem muitas mulheres sozinhas buscando entretenimento nas redes sociais. O que a Bíblia diz sobre o assunto? Qual o papel da igreja cristã para com as pessoas solitárias?

O que é a solidão?

É um sentimento de profunda sensação de vazio e isolamento. A solidão é penosa, exaustiva e desagradável. A solidão envolve e persiste na vida da pessoa apesar dos melhores esforços para eliminá-la.

Que sentimentos a solidão causa?

Envolve um sentimento de vazio que pode ser acompanhado de desânimo, inquietação, tristeza, sensação de isolamento, ansiedade, desejo de ser amado por uma pessoa, sentimento de rejeição e de ser indesejada, deixada de lado, desespero e necessidade de manter qualquer tipo de relação para amenizar a dor sentida. Vale qualquer relacionamento. Até mesmo com pessoas desconhecidas. Pessoas solitárias sentem-se inúteis, pensam que não têm valor porque pensam que ninguém gosta delas.

A mulher pode estar só e não se sentir sozinha?

Sim. Ela pode estar sozinha, sem a companhia de outra pessoa, e sentir-se plena. A mulher pode ter solitude que é o estado de privacidade, não significa que esteja em estado de solidão. A mulher está bem com ela mesma. Poderia, por exemplo, passar vários dias sem a companhia de outra pessoa e, mesmo assim, não sentiria solidão. A solitude pode até ter isolamento e reclusão, mas isso não está associado à pessoa sofrer.

Solidão é igual a isolamento?

Não. Solidão é o estado ou condição da pessoa que sente ou está só. Isolamento é o ato de isolar ou de se isolar, separação completa. Vamos dar um exemplo: uma pessoa pode viver sozinha em um apartamento, mas ir trabalhar, sair com os amigos, visitar a família constantemente. Ela vive só, mas não se mantém sozinha porque procura companhia. Já no isolamento, a pessoa recusa a companhia. Escolhe ficar separada, sem convivência e sem relacionamento com o próximo. Isolamento pode ser positivo ou negativo, dependendo do uso que a pessoa faz dele.

Solidão pode levar ao isolamento?

Pode. Depende das decisões da pessoa. A escolha de cada um é que vai dizer que a mesma se colocará em auto isolamento ou não.

Quais os impactos positivos que o isolamento acarreta?

Se o isolamento for uma escolha da pessoa, não necessariamente leva a uma depressão, sofrimento ou dor. Isolar-se pode ser a escolha de uma pessoa, uma opção. Pode ser apenas um comportamento. Pode levar a uma autoavaliação e autoconhecimento. É positivo o isolamento que gera reflexão, mudança de vida para melhor, reavaliação das metas e resignificação dos valores da vida.

Quanto ao isolamento social forçado, quais os impactos sociais negativos que pode acarretar?

Ansiedade, medo e sentimentos de raiva e confusão. Esses impactos estão relacionados a fenômenos como desinformação, confusão nas informações, ausência da liberdade (ou ausência da possibilidade do exercício dessa liberdade) e o isolamento em si que acaba tirando as pessoas das atividades diárias como o trabalho, relacionamentos sociais e lazer.

O que as pessoas solitárias fazem para amenizar a dor?

Especialmente nos finais de semana, com o objetivo de buscar amor e companhia, os solitários buscam bares, grupos de encontros, reuniões da igreja, experiências sexuais ocasionais e experiências íntimas com estranhos.

Essa busca por companhia resolve o problema?

Muitas vezes, não. As pessoas solitárias, quando não resolvem seus problemas internos, podem permanecer sós e sem ligação e parecem que são incapazes de construir relacionamentos fortes e contínuos. Muitas também podem não obter satisfação emocional nos grupos que tentam frequentar.

É comum a negação da solidão?

Sim. Muitos solitários negam a solidão. Fazem isso para não encarar o problema de talvez serem indesejados, desmerecidos e para não se sentirem sem valor.

Quais são os tipos de solidão?

Existem três tipos de solidão. O primeiro tipo é a solidão emocional que é a falta de uma relação íntima com outra pessoa. Esse tipo de solidão passa facilmente quando o solitário faz novos relacionamentos. A solidão social é o segundo tipo. Aparece quando a pessoa sente falta de propósito na vida, ansiedade e vazio. A pessoa que sofre de solidão social precisa de um grupo de amigos que a aceite. E o terceiro tipo é a solidão existencial. Está relacionada ao afastamento de Deus. A pessoa que passa por solidão existencial precisa se relacionar mais profundamente com o divino e de estar em grupos de sua religião para uma comunhão religiosa com uma comunidade que lhe dê atenção.

Quais as causas da solidão?

São várias. Os estudiosos dizem que o mundo atual gera o isolamento. A tecnologia pode ser útil por um lado e negativa quando gera solidão. A diferença está em saber como usá-la bem. A internet, por exemplo, por meio das redes sociais, pode afastar pessoas. Isso gera solidão. Um usuário das redes tem milhares de seguidores, mas não tem um amigo para desabafar em um momento de dor. Os meios de comunicação de massa são bons para transmitir a informação, encurtando distâncias geográficas e mostrando culturas distintas. Mas, quando mal usados, levam à solidão. Além das redes sociais já mencionadas, a televisão também pode separar quando as pessoas geram um comportamento de permanecer um longo tempo em frente à tela, consumindo conteúdo e se esquecem das demais pessoas à volta. Entram em um mundo paralelo, sendo alimentadas por um meio que tem a superficialidade como característica mais marcante. No envolvimento com a TV os solitários se esquecem de conviver com os mais próximos. A TV reina absoluta em um espaço especial da sala e a família pode ficar esquecida em um canto. As pessoas não têm mais tempo para desenvolver relacionamentos profundos. A vida anda superficial. Muitas amizades e companheirismo também podem se afastadas em um mundo onde a mobilidade é grande e as pessoas mudam de endereço com frequência. Existem também causas psicológicas da solidão. Existem pessoas que não sabem construir relacionamentos, são indiferentes ao outro, não sabem ser agradáveis. Ainda não aprenderam a conviver em sociedade. Essas pessoas que sofrem de causas psicológicas podem ter baixa auto-estima, são incapazes de se comunicar, são pessimistas e têm atitudes derrotistas. O solitário age sendo individualista, independente. Não quer dependência de Deus e nem das outras pessoas. Pode ter a competição como seu estilo de vida, ser possessivo no sentido que querer obter, a todo custo o que deseja, e ter atitude exigente que o leva a lutar por seus direitos. Medo e hostilidade também são outras causas da solidão.

Quais as consequências da solidão na vida de uma pessoa?

Cada pessoa tem sua individualidade. Por isso, cada um que passa pelo problema reage de uma forma diferente. Mas existem consequências gerais que podem ser vistas no comportamento como o isolamento, baixa autoestima, desânimo, egoísmo, autopiedade, desesperança, suicídio, alcoolismo, uso de drogas e a reação violenta do solitário.

Diante do exposto, a solidão pode ser provocada pela própria pessoa?

Pode ser uma falha da própria pessoa que aumenta o seu potencial de solidão quando faz uma grande competição, quando luta só pela sua autossuficiência, quando se concentra somente em si e no seu sucesso, quando torna-se extremamente crítica e intolerante para com outros pontos de vista, quando se apega ao rancor e ao ressentimento, quando usa outras pessoas para satisfazer seus objetivos. Todo esse conjunto pode fazer com que as pessoas mais próximas se afastem e o solitário fique ainda mais solitário.

A incapacidade de comunicação pode levar à solidão?

A dificuldade de comunicação e os ruídos são colocados entre as causas da solidão. Não saber se comunicar de forma correta gera problemas interpessoais. A solidão acontece quando a pessoa não quer ou não sabe se comunicar sinceramente. Mesmo cercado por outros, a pessoa permanece solitária. Alguns não têm a habilidade básica da comunicação e de sociabilidade. Deus criou as pessoas como seres sociais. Não era bom estar sozinho foi o que Ele disse para Adão. Muitas vezes a causa da má relação interpessoal está no fato de a pessoa se recusar ou ter a incapacidade de se abrir aos outros, compartilhar seus sentimentos e pontos de vista. E as consequências sociais da falta ou da má comunicação são enormes. A pessoa que não sabe se comunicar vive em uma tensão interpessoal, é adepta à agressão verbal, violência, retraimento de outros e rompimento de relacionamentos. Olha aí o problema da solidão aparecendo novamente. A dificuldade de comunicação interpessoal e a falta de tato podem gerar reações ruins que destroem o contato amigável. Isso leva ao sofrimento, negativismo, solidão e sentimentos de remorso. Soma-se à dificuldade de comunicação também o preconceito. Muitas pessoas resistem em buscar ajuda com um profissional, seja psicólogo ou psiquiatra.

A baixa autoestima pode levar ao isolamento?

A baixa autoestima leva aos mais diversos problemas pessoais como autoisolamento, depressão, problemas alimentares como bulimia e anorexia, entre outros. A baixa autoestima interfere na imagem pessoal. A mulher não se valoriza, não se dá importância, aceita qualquer relacionamentos, até mesmo aqueles que a diminui. Depois que as relações não dão certo, a pessoa se frustra. É comum a exclusão social, voltando-se para buscar refúgios em outros meios como as redes sociais. A baixa autoestima pode levar uma pessoa a ter dificuldade de relacionamento e a viver sozinha depois que relacionamentos ruins e abusivos terminam. Se refugia nas redes sociais e vive solidão. A baixa autoestima também pode levar a pessoa a evitar alguns ambientes onde não se sente bem. Recusa frequentar uma praia, por exemplo, por achar que não está bem com o corpo. Recusa um convite para uma festa, por achar que não teria roupa para aquele evento. A pessoa se exclui, se fecha, não se envolve em atividades que poderiam gerar boa convivência social.

Existe um grupo que tende a sentir mais solidão?

Os viúvos e os solteiros. Esses dois grupos merecem atenção especial. Os viúvos recebem mais apoio na igreja. Mas nem sempre os solteiros são igualmente amparados e compreendidos. A pessoa sozinha é vista como uma desajustada, problemática, um atropelo para os amigos casados que nem sempre confiam no solteiro ou sabem como incluí-lo nas atividades. Não sabem nem se devem incluir ou não o solteiro na atividade dos casais. Os solteiros passam por solidão, preconceito e rejeição. Nem na igreja esse grupo recebe a atenção devida. Muitos rejeitam os solteiros ou não sabem se relacionar com estes. Se o solteiro for divorciado, o preconceito é maior ainda.

Qual a diferença entre ser solteira e ser solitária?

Ser solteira e ser solitária são coisas diferentes. Muitas pessoas solteiras não são solitárias. Algumas pessoas solteiras sabem apreciar essa fase de estar sem compromisso.

Solidão pode gerar depressão?

Pode, sim. E os sinais da depressão são tristeza, apatia (ausência de interesse ou de resposta a um estímulo), inércia (preguiça, falta de atividade), dificuldade de tomar decisões, perda de energia, fadiga (cansaço que resulta de um esforço qualquer), pode ter insônia, pessimismo, desesperança, medo, autoconceito muito negativo, sentimento de culpa, vergonha, desamparo, perda de interesse no trabalho, na vida social (isolamento), desinteresse sexual, perda de apetite e dificuldade de concentração.

Solidão pode levar ao suicídio?

Solidão, depressão e suicídio são assuntos que se interligam. O suicídio e as tentativas de se matar predominam entre os que vivem só, os não casados (divorciados), os deprimidos e os adolescentes. A tentativa de suicídio pode ser um grito inconsciente de socorro. Existem tentativas de suicídio que são claras. Mas existem aquelas pessoas que tramam o suicídio para que pareça um acidente.

Solidão gera sofrimento?

Muitas vezes, sim. E os solitários tendem a repetir com frequência a grande pergunta que é porque. “Por que isso acontece comigo? Por que não me casei? Por que ninguém me convida para namorar? Por que ninguém me entende?. O sofrimento gerado pela solidão levanta perguntas. Mas nem sempre os solitários encontram respostas. O sofrimento faz parte da vida, da raça humana caída e pecadora. O sofrimento pode ser autogerado ou causado por terceiros. O certo é que é destrutivo seja de que tipo for. Mas o sofrimento pode ser um trampolim que salte para novas descobertas. Tudo depende de como se enxerga a situação. O que queremos dizer é que o sofrimento pode ajudar a crescer. Por fim, cabe dizer que o sofrimento pode ser um aprendizado pessoal que depois poderá ser usado para ajudar outras pessoas. Então, nem tudo está perdido. Há esperança para os que sofrem. Mas o sofredor solitário deve abandonar a ideia da autocompaixão. Deve abandonar a ideia de que está sofrendo porque Deus o está castigando e, por isso, tantos males advém da situação de isolamento. Isso não é verdade. Deus não prova ninguém pela dor ou pelo sofrimento. Essa ideia é teologicamente errada. Deus é amor, sábio, onisciente, onipotente, onipresente. A natureza caída precisa entender que ser cristão não isenta o ser humano de lutar para tentar entender os porquês da vida e buscar mudança para o seu comportamento social. A solidão é uma escolha. Lutar contra o isolamento também é uma decisão.

Existe relação entre a solidão e as redes sociais?

Sim. Embora exista a solidão produzida por doenças emocionais. Ocorre que, a partir do contato com as redes sociais, as pessoas que têm predisposição ao isolamento e correm maior risco de ver aguçadas suas doenças com um consequente aumento da solidão. Por outro lado, são inegáveis os benefícios das redes sociais no que tange à praticidade e à rapidez na troca de informações, como também na socialização e interação.

As mulheres precisam ter mais convivência real e menos relacionamentos virtuais?

As pessoas precisam de equilíbrio entre o mundo real e o virtual. As pessoas precisam de relacionamento interpessoal.

As mulheres precisam conversar mais sobre as suas emoções?

Sim. Existe cura por meio da fala. Por meio da conversa há a possibilidade de a pessoa se conectar consigo mesma e com o outro. Por meio da fala descobre-se a escuta de si mesmo e de seu sofrimento. Durante conversas, emoções reprimidas são desveladas, o que promove cura e compreensão de si próprio.

Quando as redes sociais se tornam um problema?

As redes sociais têm se tornado o refúgio das pessoas. O relacionamento pessoal está sendo trocado pelo virtual. A atenção e o diálogo frente a frente estão perdendo espaço. As pessoas chegam em um restaurante e já procuram o wi-fi. Em casa, ficam conectados com pessoas distantes e se esquecem de conversar e dar atenção às pessoas próximas. Se não souber usar, a tecnologia torna-se desfavorável para o convívio social. Então, muitas pessoas sozinhas estão se isolando ainda mais atrás de uma tela de computador. Buscam nas relações virtuais a atenção que não têm na vida real. Não é difícil encontrar uma pessoa que tenha milhares de seguidores nas redes sócias, mas nenhum amigo ou companheiro para sair para um jantar. A pessoa isolada pode tender a afastar a solidão vivendo on-line. E as redes sociais são um meio de comunicação de massa que favorece esse contato de forma simples, atual e rápida.

As redes sociais devem ser evitadas por uma mulher sozinha?

Não. Basta usar com moderação. O equilíbrio é a medida.

As pessoas estão com pouco contato presencial e gastando muito tempo nas redes sociais?

É necessário equilíbrio. Tem que balancear o relacionamento pessoal com o uso e convivência on-line. É preciso voltar ao saudável estilo de vida de tempos atrás. Onde era possível tomar um café junto com amigos e familiares. Esse hábito saudável emocionalmente tem sido perdido pelo excesso de tempo gasto na internet. Muitos bares e cafeterias de Brasília estão exibindo uma placa muito sugestiva com a frase “não temos wi-fi. Conversem entre si”. É um estímulo ao diálogo olho no olho, à conversa entre os amigos que, muitas vezes, estão sentados em uma mesma mesa, mas distantes porque estão ligadas no smartphone.

Mulheres sozinhas podem sofrem golpe nas redes sociais ao procurar um relacionamento?

O alerta vem da polícia. É comum os casos de golpes aplicados às pessoas que buscam um namorado via on-line. As redes sociais são um perigo. A solidão e a carência têm levado mulheres a buscar namorados e acabam levando golpe na internet. São todas vítimas de um crime global que disparou no Brasil que é o golpe do romance na internet.

Quais são os indícios de uma conta falsa na internet?

Os golpistas seguem um roteiro que não muda. Mas as vítimas nem sempre tem costume de identificar um golpista e tornam-se presas fáceis. Uma dica de um perfil falso é que não tem nenhuma resposta pública e comentários. As mulheres comentam os posts, mas o golpista não responde. A conta falsa também não mostra nenhum parente entre os amigos e poucas fotos pessoais. Os golpistas postam foto com criança, com animais e fazendo serviço doméstico como cozinhar. Tudo para impressionar. Basta pesquisar as fotos na internet que se descobre que o perfil falso usou alguma imagem disponível na rede.

Quais as dicas para reconhecer um golpista nas redes sociais? O que fazer se cair em um golpe?

Pedir para conversar via vídeo. Ter cuidado com as pessoas que dizem que são do exterior. Não compartilhar dados pessoais e fotos íntimas. Não emprestar dinheiro. Registrar boletim se ocorrência se for vítima de golpe e procurar um advogado. Falar abertamente sobre o problema. A vergonha só reforça a impunidade.

A Bíblia cita sobre solidão?

Em Gênesis 2 Deus disse que não era bom que o homem estivesse só. Por isso faria uma companheira. Cosmos, animais, plantas, enfim, toda a criação já existia, mas Deus percebeu que o homem não estaria bem isolado. Perceba que, quando Deus foi criando, o texto bíblico diz a seguinte expressão: “e viu Deus que era bom”. Mas quando Deus fez o homem, o texto diz o oposto. Enfatiza que Deus viu que não era bom que o homem estivesse só. Eva foi a resposta divina para colocar fim à solidão de Adão. Havia comunhão plena no jardim do Édem. Não havia solidão, pois a comunicação deles entre si e com Deus era diária. O rompimento da comunhão se deu pelo pecado. Quebrou-se a harmonia da vida. Rompeu-se também a comunhão existente entre marido e esposa. Esse é o primeiro exemplo sobre solidão que existe nos textos bíblicos. Adão não poderia viver só. Deus criou o ser humano para o diálogo, para viver em comunidade de , para a troca mútua. Outro exemplo sobre solidão está narrado em Salmo 25.16-18 quando o rei Davi faz a seguinte súplica: “olha para mim, e tem piedade de mim, porque estou solitário e aflito. As ânsias do meu coração se têm multiplicado; tira-me dos meus apertos. Olha para a minha aflição e para a minha dor, e perdoa todos os meus pecados”.

A Bíblia condena viver só?

Nunca condenou. Apesar de o texto bíblico afirmar que não é bom que o ser humano estivesse sozinho, não existe nenhum pecado em viver só, em ser solteiro. Aliás, a Bíblia coloca que os solteiros podem se dedicar mais ainda a Deus (1 Co 7:32-34).

Quais personagens bíblicos sofreram com a solidão?

Destaque para Moisés, Neemias, Jacó, Jeremias e Elias. Jesus também passou por solidão no jardim do Getsêmani. João ficou exilado na ilha de Patmos, mas não morreu sozinho e isolado na ilha. Saiu de Patmos e morreu, de acordo com a tradição da igreja primitiva, na cidade de Éfeso. E Paulo esteve muitas vezes sozinho na cadeia.

Existe ainda uma causa espiritual para o sentimento de solidão?

Com certeza. O pecado afastou o ser humano de Deus. Hoje as pessoas têm a liberdade de buscar ou não um relacionamento com Ele. A atitude certa deveria ser a pessoa se voltar para Deus, mas muitas escolhem o caminho oposto e se afastam dEle. Os solitários não buscam em Deus um sentido para a vida. Mas querem se saciar e buscar consolo, resposta e conforto em ações humanas. Muitos trabalham demais, outros fazem esporte demais. Buscam nas tarefas externas preencher a necessidade interna de dar sentido à sua existência. Incorrem na solidão existencial. Deveriam se preencher no relacionamento com Deus que gera perdão, apagamento da culpa, fim da rebeldia, amor, sentido existencial e comunhão com as pessoas.

A igreja cristã acolhe bem os solteiros?

As igrejas nem sempre dão atenção aos solteiros. Muitas vezes os solteiros adultos são considerados um corpo estranho na comunidade. Eles não têm muito espaço. Poucos ministérios desenvolvem atividades específicas para satisfazer as necessidades desse grupo. Seus problemas, em geral, não são compreendidos. Os casados deveriam ser instruídos a acolher melhor esse grupo (solteiros, viúvos e divorciados). Até os pastores solteiros sofrem preconceito. Os solteiros nem sempre se sentem acolhidos nos projetos desenvolvidos como seminários e confraternizações. A falta de acolhimento é uma atitude que deve ser combatida. Os solteiros são importantes dentro do corpo de Cristo e devem ser aceitos na comunidade de fé. Os casais e a igreja precisam ser instruídos a acolher mais as pessoas solteiras em seus projetos. A igreja faz atividades para as famílias, só para os casais, mas esquecem dos solteiros adultos. É comum reclamações dos solteiros de que sofrem preconceito dentro das igrejas cristãs. Um exemplo são os pastores solteiros. Há muita pressão sobre as pessoas solteiras que exercem algum ministério, principalmente de liderança. Esse preconceito precisa ser combatido. Os solteiros também são parte do corpo de Cristo e merecem atenção.

A igreja é um centro de apoio para a cura?

Deveria ser. A igreja é o local ideal para receber todo o tipo de pessoa, com todo o tipo de dor. Deve ser uma comunidade de ajuda, de aceitação, de convívio, de oração para que a pessoa solitária possa conhecer Jesus Cristo e ser curada das dores da alma. Mas o contato humano não é tudo. Além disso, é necessário uma conversão genuína a Cristo, o arrependimento dos pecados, uma vida de oração e o coração aberto para receber cura divina. O solitário precisa conhecer o poder transformador de Jesus. O aumento da espiritualidade é uma das formas de prevenir a solidão. A solidão é reduzida ou evitada quando os indivíduos são ajudados a construir relacionamentos íntimos com Deus, assim como com outros seres humanos. Ajudar as pessoas a crescerem espiritualmente torna-se uma meio significativo para evitar a solidão.

É possível se prevenir contra a solidão?

Sim. As pessoas precisam entender que a igreja, corpo de Cristo, é um canal de encorajamento, de crescimento na fé e de relacionamentos. Essa comunhão é remédio contra a solidão. É muito comum ouvir relatos de pessoas afirmando que foram feridas em nome de Deus por líderes insensíveis. Não se pode negar essa realidade. Muitos até se afastaram da fé (desviaram-se) ou se tornaram desigrejados por causa das feridas na alma. Mas é importante ressaltar que a igreja que fere também pode ser a igreja que cura. Basta uma tomada de consciência e de posição. Fortalecer as amizades familiares também é uma forma de combater a solidão. Aprender a aceitar-se e descobrir o valor que têm levam as pessoas a não mais se sentirem sós. O aconselhamento é outra forma de prevenção.

Mover-se, estar em atividade ajuda a resolver o problema da solidão?

O problema tem que ser enfrentado a nível mais profundo. Pode ajudar temporariamente quando se incentiva o solitário a desenvolver atividades que envolvam sair da casa, deixar o isolamento e se relacionar. Pode-se sugerir exercício físico como correr no parque, ir à igreja, participar de um grupo de oração e estudo bíblico, participar de grupos de ajuda e apoio, desenvolver um hobby, assistir TV, ir ao cinema, visitar uma exposição de arte, passear no shopping. Essas atividades podem trazer alívio imediato e passageiro, mas não resolvendo a raiz do problema.

Uma pessoa amarga pode se tornar só por se isolar de outras pessoas?

É muito difícil conviver com uma pessoa amarga. Define-se amargura como hostilidade e ressentimento permanentes e intensos que levam a tratar os outros com aspereza e a ter opiniões indelicadas sobre eles. A mulher amargurada está presa a uma vida tóxica e tudo o que faz tem consequências, pois as ações são regadas a veneno. A mulher tem que se autopoliciar a fim de perceber se é amargurada. Parece um tema sem importância, mas a amargura estraga a vida da própria pessoa, afeta os relacionamentos, gera hostilidade e consequente isolamento. Como é difícil se relacionar com uma pessoa envenenada pela amargura. As pessoas saem de perto. Daí pode acontecer o isolamento e a exclusão que acarretará em solidão.

A mulher pode se culpar pela situação de solidão?

A culpa pode ser a companheira da mulher quando ela não consegue lidar com a questão e se autopune. Quando enxerga em si mesma um fracasso por não ter uma companhia, por exemplo. É importante citar que a cultura do segmento evangélico é a valorização da família, do casamento. As solteiras, viúvas e divorciadas estão fora da curva porque não se adéquam a esse padrão. Se não tomar cuidado, a mulher pode se culpar, se punir e se entristecer pela situação de viver sozinha. E também pode cair no erro de comparar a sua vida com a de outras mulheres dentro da igreja.

A carência pode levar a mulher a buscar sexo casual. Qual consequência de fazer sexo casual para o corpo e para a psique?

Atualmente é comum o sexo casual, fora do casamento, sem compromisso. O pensamento atual acha que uma pessoa pode oferecer o corpo e não afetar a alma. Não pode. As pessoas são psicossomáticas. Qualquer coisa que toca o corpo tem impacto na psique também. O pensamento focado em Jesus Cristo ajuda as mulheres a abandonar a ideia da prática do sexo casual que ela imaginou que pudesse trazer felicidade. Podem passar anos para que a pessoa perceba os danos internos que essa atitude causará na vida.

Relacionamentos amorosos superficiais ou abusivos podem fazer com que a mulher se sinta sozinha?

Sim. Esse tipo de relacionamento não oferece trocas emocionais justas, gerando na mulher sentimentos de desamparo e culpa constantes por não estar atendendo o parceiro suficientemente, como sempre é alegado pelo homem abusador. Em trocas superficiais a mulher não consegue expressar seus desejos mais íntimos e pode ter dificuldade de falar dos seus sentimentos e colocar limites. Dessa forma, a mulher sempre se sente em uma posição subalterna.

É possível superar a solidão?

Com certeza. O desafio é caminhar rumo aos sonhos, traçar objetivos, se esforçar, buscar ajuda de um profissional (um conselheiro ou psicólogo), sair da zona de conforto e ir para a rua fazer atividades que dão prazer. Nem tudo na vida acabou para a mulher que vive só. Não se pode ficar sentada esperando que alguma coisa aconteça. Tem que levantar e agir, dando um passo de fé.

Como solucionar o problema da solidão?

Uma relação firme com Deus e com as pessoas é o caminho para o fim da solidão. Mas as pessoas estão preferindo construir muros e não pontes. Devem rever urgentemente essa posição antes que a vida solitária as consuma.

Você pode gostar
Será que o público entende quando você prega?
Adquira o curso que é focado em desenvolver e destravar a Oratória de futuros Líderes Cristãos.
SAIBA MAIS! »

Termine o ano memorizando a Bíblia!
Memorize os livros da Bíblia e suas passagens de um jeito super dinâmico. Fortaleça sua fé para comunicar a Palavra de Deus do jeito fácil!
SAIBA MAIS! »

Se capacite em administrar melhor suas finanças!
Veja como você pode ser mais próspero financeiramente à luz da Palavra de Deus.
SAIBA MAIS! »

Denise Santana é jornalista, teóloga e professora. Tem mestrado em Teologia pela Escola Superior de Teologia, no Rio Grande do Sul. Pós-graduação em MBA Gestão da Comunicação nas Organizações pela Universidade Católica de Brasília. Bacharelado em Comunicação Social, Jornalismo, pelo Centro de Ensino Unificado de Brasília. Licenciatura plena em História pelo Centro de Ensino Unificado de Brasília. Bacharelado em Teologia pela Faculdade Evangélica de Brasília.

Trending