Siga-nos!

estudos bíblicos

A mulher de Provérbios 31, em pleno século XXI

A Bíblia, ao contrário do que muitos pensam, sempre valorizou a mulher e a colocou numa posição de honra, fazendo justiça entre os gêneros homem e mulher.

Cris Beloni

em

Mulher orando no meio da floresta (Diana Simumpande / Unsplash)

“Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de finas joias.” (Provérbios 31.10)

Essa é a versão Almeida Revista e Atualizada, que é a mais conhecida. Na NVI, esse mesmo texto diz “uma esposa exemplar, feliz quem a encontrar”.

Estamos lendo palavras que foram escritas por volta do ano 970 a.C., em Jerusalém. A tradição judaica e cristã considera que Salomão foi o autor inspirado do livro de Provérbios.

Somente os capítulos 30 e 31 são atribuídos a Agur e Lemuel, respectivamente. O nome Lemuel é de origem hebraica e significa “consagrado, separado ou dedicado a Deus”.

Segundo um grupo de eruditos, “rei Lemuel” poderia ser um dos pseudônimos de Salomão, mas não há como afirmar isso com certeza. Se fosse assim, os conselhos poderiam ter sido dados por Bate Seba, sua mãe.

Mas estamos aqui falando apenas de hipóteses, o que importa mesmo nesse estudo é a reflexão que faremos sobre as descrições da mulher virtuosa, fornecidas pelo autor principal da Bíblia – o Espírito Santo.

Vamos ao contexto

Como a mulher era vista nos tempos bíblicos? Embora muitos enquadrem a mulher dentro de um cenário machista, usando a Bíblia para dizer isso, o que vemos é que elas exerciam influência em várias áreas, dentro do contexto do Antigo Testamento.

Comparar a liberdade das mulheres de hoje com as mulheres dos tempos bíblicos é algo que exige muita prudência. Primeiro porque os relatos bíblicos são de um contexto oriental, e nós, vivemos num contexto ocidental. Segundo porque, até os dias de hoje, dependemos da cultura para fazer essa análise.

Em pleno século 21, enquanto as mulheres ocidentais lutam por direitos iguais e empoderamento, paralelamente, as orientais lutam por direitos muito mais básicos. As sauditas, por exemplo, lutam pelo direito de dirigir um carro, abrir uma conta bancária e viajar para o exterior.

Então, não é uma questão de comparar os tempos bíblicos com os tempos de hoje, mas de considerar as imposições de cada cultura, nação e religião. Não é a Bíblia e nem o cristianismo que impõem regras limitantes às mulheres, mas os próprios homens e governos, de todos os tempos.

A Bíblia, ao contrário do que muitos pensam, sempre valorizou a mulher e a colocou numa posição de honra, fazendo justiça entre os gêneros homem e mulher.

A própria lei mosaica garantia que os direitos às mulheres fossem respeitados, mas o judaísmo, influenciado pela cultura grega, passou a discriminar as mulheres, tratando-as como inferiores. Logo, dizer que é a Bíblia possui um conteúdo machista é um mito que precisava ser derrubado.

A influência da mulher

Estudos etnográficos e arqueológicos comprovam o que a Bíblia diz. É verdade que a mulher influenciava muito além da esfera doméstica, no Antigo Oriente. Ela era respeitada como autoridade dentro e fora de casa.

Relatos bíblicos mostram a mulher participando da agricultura, no processamento dos grãos e na produção dos pães. O que mudou essa realidade foi a modernização após o período helenístico, quando as ferramentas manuais foram substituídas por moinhos movidos por animais.

Depois que os pães passaram a ser produzidos fora de casa, em padarias especializadas, as mulheres foram rejeitadas pela sociedade daquela época e afastadas da produção e, automaticamente, da economia dentro daquela área.

O mesmo aconteceu com a tecelagem, que era uma atividade feminina de alto valor econômico e que foi substituída com a invenção tecnológica do tear duplo.

Entre vários outros exemplos bíblicos, temos a mulher participando de transações econômicas, políticas e até do poder religioso. Rainhas são citadas, compositoras como no caso de Ana e até uma juíza, Débora.

Mulheres cantavam e tocavam instrumentos musicais. Resumindo, o papel da mulher nos tempos do Antigo Testamento parece ser bem diferente do retrato imaginado nos dias de hoje sobre aquele período.

Características da mulher virtuosa

De acordo com o livro de Provérbios, capítulo 31, a mulher virtuosa é:

Preciosa – não é possível medir seu valor dentro dos padrões humanos. Ela conhece a si mesma e cresce constantemente em graça e conhecimento.

Confiável – uma pessoa digna de receber confiança é sincera e leal, antes de tudo. Comunica-se com transparência, tem organização, discernimento, paciência e perseverança.

Abençoadora – faz bem aos outros, preocupa-se com as pessoas ao seu redor e tem a alma próspera.

Trabalhadora, administradora – se levanta cedo e dorme tarde; administra todas as coisas ao mesmo tempo, é ativa e coloca seus talentos em prática pelo bem de todos.

Visionária – faz negócios, é empreendedora e econômica, vai para diversos lugares, acredita em seus sonhos e realiza.

Previdente – antecipa soluções, ou seja, não espera o problema chegar.

Segura – não é uma mulher ansiosa. Ela sorri diante do futuro.

Generosa – pensa nos aflitos e necessitados, é sensível aos problemas dos outros. A generosidade vai além da doação em dinheiro, vai até ao ponto de doar tempo e talento.

Elegante – cuida do corpo, das roupas que veste e dos acessórios que usa.

Educadora – fala com sabedoria e ensina com amor. Ela interpreta a vida com os olhos de Deus e repassa esses valores aos filhos, sendo exemplo e influenciando primeiro dentro do próprio lar.

Piedosa – tem relacionamento com Deus, é temente ao Criador.

Equilibrada – tem domínio próprio, é mansa e tranquila.

Exemplar – digna de elogios, pelo que é, e pelo que faz. Digna de ser seguida e aprovada por Deus.

Como disse Hernandes Dias Lopes: “Mais importante do que ser aplaudida na terra, é ser aprovada no céu”.

Conclusão

De acordo com a literatura bíblica, a mulher é vista como alguém feita à imagem e semelhança de Deus, que tem dignidade própria e que é igual ao homem em termos de essência.

A Bíblia mostra mulheres que fizeram coisas extraordinárias e que foram elogiadas pelos seus feitos. E, mesmo que determinados textos reflitam os problemas de sua época, isso não pode tirar o brilho de Deus derramado sobre as mulheres.

Mesmo que, historicamente a mulher tenha sido desprezada ou idealizada, biblicamente, ela foi exaltada e valorizada.

Portanto, deixe de lado os pensamentos fora de foco e entenda a mulher aos olhos do Criador. Ela é preciosa, ela tem valor!

“Reveste-se de força e dignidade; sorri diante do futuro.” (Provérbios 31.25)

Estude a Bíblia no Telegram

No grupo de estudos Bíblia Investigada você poderá tirar muitas dúvidas sobre vários textos bíblicos. A proposta de trabalho está baseada no jornalismo, sempre em busca de compreensão das Escrituras através de pesquisas e reportagens que incluem expressões idiomáticas, costumes judaicos e cultura dos povos antigos.

Aqueles textos que parecem confusos ou que são usados de forma inadequada podem ganhar um novo sentido e mudar nossas vidas de maneira muito positiva. A Bíblia é incrível! Quanto mais nos aprofundamos em seus ensinamentos, mais nos transformamos e caminhamos em direção ao Criador.

Se você quer fazer parte desse grupo, acesse gospelpri.me/biblia-investigada

Jornalista e pesquisadora apaixonada pela Bíblia. Desenvolveu um trabalho de "Jornalismo Investigativo Bíblico", é autora dos livros Derrubando Mitos e Apocalipse Investigado. Seus temas envolvem missões transculturais, Igreja Perseguida, teorias científicas, escatologia e análises de textos bíblicos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Trending