Siga-nos!

sociedade

Demi Lovato critica revelação de sexo: “Há meninos com vaginas e meninas com pênis”

Cantora afirmou que revelação de sexo é “transfóbica”.

Avatar

em

Demi Lovato
Demi Lovato (Foto: Reprodução/AP Photo)

Em uma postagem no Instagram com nove slides, a cantora Demi Lovato se posicionou de forma crítica as festas de revelação de sexo dos bebês, descritas por ela como “transfóbicas” porque na sua visão distorcida “há meninos com vaginas e meninas com pênis”.

A militância em favor da ideologia de gênero pela artista global foi escrita por Alok Vaid-Menon, um militante LGBT, e compartilhada por ela. Vaid-Menon também afirmou que a revelação de sexo desviam a atenção da “realidade”, recusando a ideia que o sexo biológico da pessoa esteja ligado a genitália.

Surpreendentemente, apesar da ciência só admitir dois sexos, diz que a revelação é “inconsistente com a ciência”. “É falso e incorreto fingir que as festas de revelação de gênero não são transfóbicas”, escreveu Vaid-Menon na postagem compartilhada por Lovato.

“Você não pode ter seu proverbial bolo binário rosa-azulado e comê-lo. Não se trata de correção política; é apenas … correto. Condenamos as revelações de gênero não por causa de nossa identidade, mas por causa da realidade”, tentou justificar.

Vaid-Menon argumentou que as festas de revelação de sexo, geralmente realizadas por casais grávidos celebrando os sexos de seus bebês ainda por nascer, são “baseadas na ilusão de que os órgãos genitais [igual] de gênero e que há apenas duas opções, ‘menino ou menina’.”

“Essa definição apaga o fato de que existem meninos com vaginas e meninas com pênis e que existem pessoas que não são meninos nem meninas”, escreveu Vaid-Menon. “As revelações [G] ender exigem não apenas a invalidação da transnabilidade, mas a impossibilidade da transnabilidade. A suposição é que o bebê seja cis. Cisness é posicionado como o padrão e todos os outros são entendidos como derivados dele”, continuou.

O termo “cisidade” vem da palavra “cisgênero”, uma daquelas invenções absurdas para tentar promover a agenda LGBT, visando descrever “uma pessoa cuja identidade de gênero corresponde ao sexo que a pessoa teve ou foi identificada como tendo no nascimento”.

“A ideia é: embora possamos ‘nos identificar’ como trans agora, nós ‘originalmente’ ‘nascemos’ cis e mais tarde ‘nos tornamos’ trans”, Vaid-Menon explicou. “Quando na verdade todo mundo acaba de nascer. E todos nós nos tornamos depois do fato.”

Você pode gostar
Será que o público entende quando você prega?
Adquira o curso que é focado em desenvolver e destravar a Oratória de futuros Líderes Cristãos.
SAIBA MAIS! »

Termine o ano memorizando a Bíblia!
Memorize os livros da Bíblia e suas passagens de um jeito super dinâmico. Fortaleça sua fé para comunicar a Palavra de Deus do jeito fácil!
SAIBA MAIS! »

Se capacite em administrar melhor suas finanças!
Veja como você pode ser mais próspero financeiramente à luz da Palavra de Deus.
SAIBA MAIS! »

Trending