Siga-nos!

igreja perseguida

Adolescente cristã foi convertida a força ao Islã e teve 5 abortos forçados

Adolescente foi sequestrada e teve certidão de nascimento falsificada.

em

Mulheres paquistanesas
Mulheres paquistanesas (Foto: Mohammad Sajjad/AP)

Uma adolescente cristã paquistanesa foi sequestrada em 2019, convertida ao Islã contra a sua vontade e obrigada a se casar com um homem mais velho, sendo resgatada no início deste ano e devolvida a sua família.

Joel Veldkamp, ​​oficial de comunicações internacionais da Christian Solidarity International (CSI), uma organização cristã de direitos humanos, contou recentemente ao Faithwire sobre a trágica história de Sadaf Khan.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

“Em fevereiro de 2019, Sadaf tinha 14 anos e foi sequestrada de sua casa. Ela simplesmente desapareceu. Os pais dela não faziam ideia de para onde ela foi”, explicou Veldkamp. “E então … eles receberam uma notificação da polícia, ‘A propósito, sua filha se converteu ao Islã e agora ela é casada com um homem que é muito mais velho do que ela.'”

Os pais de Sadaf, que são cristãos em um país de maioria muçulmana, contrataram um advogado e entraram com ação na justiça contra o homem que havia sequestrado a filha.

De acordo com os relatos, a adolescente apareceu totalmente coberta e foi proibida de falar com a mãe no tribunal.

Apesar de não conseguirem ver suas expressões faciais durante o processo, eles sabiam que ela estava visivelmente desconfortável e com “tanto medo”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

“O sequestrador … seu suposto marido trouxe uma certidão de nascimento falsa que dizia que ela tinha 18 anos, o que significa que ela é livre para tomar suas próprias decisões”, disse Veldkamp. “Então, o juiz simplesmente não permitiu que ela falasse, não fez perguntas, apenas olhou para a certidão de nascimento falsificada e disse: ‘Ok, sim, isso é bom.’”

No ano de 2020 a família de Sadaf não conseguiu reverter a situação nos tribunais, mas foi em 30 de abril de 2021, que um advogado apoiado por CSI conseguiu fazer com que o caso fosse ouvido por um tribunal de apelações.

Foi lá que a família de Sadaf finalmente alcançou a vitória, mas ela não veio sem feridas profundas e cicatrizes. O tribunal de apelações decidiu que o casamento e a conversão eram ilegítimos e Sadaf estava livre para voltar com sua família.

“Ela não tinha idade suficiente para tomar essa decisão por si mesma e, felizmente, neste caso, a justiça foi feita”, disse Veldkamp. “Ela conseguiu voltar para a casa da família e, ao chegar em casa, pôde realmente falar pela primeira vez e falar sobre o que passou.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

“É muito claro que ela foi usada, essencialmente, como uma escrava sexual e empregada doméstica por esta família”, disse ele. “E ela nos contou que fez cinco … abortos forçados durante seus 2 anos e meio de cativeiro.”

Você pode gostar
Será que o público entende quando você prega?
Adquira o curso que é focado em desenvolver e destravar a Oratória de futuros Líderes Cristãos.
SAIBA MAIS! »

Termine o ano memorizando a Bíblia!
Memorize os livros da Bíblia e suas passagens de um jeito super dinâmico. Fortaleça sua fé para comunicar a Palavra de Deus do jeito fácil!
SAIBA MAIS! »

Se capacite em administrar melhor suas finanças!
Veja como você pode ser mais próspero financeiramente à luz da Palavra de Deus.
SAIBA MAIS! »

Trending