Siga-nos!

Estudos Bíblicos

O que é e como fazer o jejum que Deus aceita?

Não faça regime para Deus!

Tiago Rosas

em

Mesa com prato vazio. (Foto: Alla Hetman / Unsplash)

Jejum pode ser uma mera abstinência de alimentação, por falta do que comer, por falta de apetite ou por alguma recomendação médica.

Todavia, nos termos bíblicos e com caráter devocional, o jejum não é mera abstinência de alimentação, embora envolva isso também.

Jejum bíblico é antes de tudo o reconhecimento de que “nem só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que sai da boca de Deus” (Mt 4.1-4).

É o privar-se da comida, das distrações e ansiedades da vida material para alimentar a alma e nutrir-se da devoção à Deus, com vistas a manifestar gratidão, contrição ou petição.

Quem jejua para dedicar-se ao fortalecimento da alma e do espírito o faz por reconhecer que o homem é mais do que matéria e necessita de mais força do que os alimentos podem prover.

Para quê é o jejum

O jejum foi praticado por muitos personagens bíblicos e por comunidades inteiras, com diferentes objetivos. Por exemplo, Ester e os judeus jejuaram com o propósito de receberem uma resposta favorável da parte do rei Assuero (Et 4.16).

Daniel jejuou devido grande contrição pelo cativeiro babilônico e ansiedade por uma resposta de livramento (Dn 9.3).

Jesus jejuou por quarenta dias para dedicar-se exclusivamente ao Pai em oração e fortalecer-se para o início de seu ministério (Mt 4.1,2). Aos discípulos foi dito que a oração e o jejum eram necessários para o enfretamento dos poderes demoníacos (Mt 17.21). A igreja primitiva jejuava para receber de Deus direções e respostas (At 13.2,3).

Assim, o jejum tem caráter multifacetado. Mas é importante notar que o jejum está sempre ligado à oração, deixando claro que é uma ferramenta adicional (e não substitutiva) para vitórias espirituais.

Ficar sem se alimentar enquanto também fica sem orar é de nenhuma serventia para Deus!

Como NÃO fazer um jejum

Algumas pessoas decidem: “vou tirar o dia hoje de jejum!”. Ótima iniciativa! Mas muitas delas erram no modo como jejuam: passam o dia inteiro na internet ou vendo televisão, alimentando o espírito das gorduras da imoralidade e embriagando a alma no vinho da irreverência.

Outros passam o dia inteiro de jejum arrumando a casa, lavando as roupas ou capinando o quintal!

Há os que passam o dia de jejum passeando no shopping ou conversando futilidades com os amigos pelas redes sociais.

Isso não é jejum! É regime! De nada valerá para fortalecer o crente espiritualmente. Ficar com o estômago roncando enquanto se distrai com mil ocupações terrenas, é um despropósito grande que em nada comove o coração de Deus!

Como fazer corretamente o jejum

Como já dissemos, o jejum deve estar aliado a oração e com vistas a nutrir a alma e o espírito. Portanto, seguem algumas dicas para um jejum que agrada a Deus, independente do propósito que você tenha em mente:

– Comece o seu jejum com oração. Não tenha pressa, demore-se e derrame-se na presença de Deus. Ore por sua família, vizinhos, amigos, igreja, governo, missionários, doentes, presos… (1Tm 2.1-4). Você verá que não faltará gente por quem orar, mas faltará tempo! Se achar interessante, pode elaborar uma lista de propósitos de oração previamente.

– Cante louvores ao Senhor, adorando-o na beleza de sua santidade. O hinário de sua igreja (Harpa Cristã, Salmos e Hinos, Cantor Cristão, etc.) pode ser um ótimo auxílio nessa hora, com cânticos devocionais. Que não seja mero exercício vocal, mas de fato um louvor que proceda da alma (Sl 103.1,2).

– Medite desapressadamente na Palavra de Deus, confiando que Ele falará ao teu coração. A Palavra de Deus é pão para a alma! Enquanto o corpo jejua, a alma se alimenta do pão celestial (Jr 15.16).

– Peça perdão a quem você ofendeu. Faça do seu dia de jejum o dia da reconciliação! (Fp 4.2,3).

– Aproveite o dia para visitar um parente ou amigo enfermo, e faça por ele uma oração de fé por cura divina. Dê-lhe também a assistência material que lhe for possível (Is 58.6,7).

– Estenda sua mão para abençoar alguém que está precisando de sua ajuda. Uma simples doação para aliviar o sofrimento de alguém que se encontra em aperto é um jejum que agrada a Deus (Mt 25.34,35).

– Fale do amor de Deus e da salvação de Jesus Cristo para seus parentes e amigos, quer presencialmente, quer virtualmente (use as suas redes sociais para falar da salvação em Jesus Cristo. Que tal contar uma benção recebida ou um milagre vivido para edificar a fé de seus amigos virtuais?). Não desperdice seu dia de jejum em fofocas ou em contendas teológicas. Se seu dia de jejum é um dia de brigas, então ele se tornou detestável para Deus! (Is 58.3,4).

– Não estenda o jejum além do que seu organismo possa suportar; seja prudente e cuide de sua saúde física. Não há uma regra bíblica para duração do jejum, mas o ideal é começá-lo já ao acordar (senão antes). Se não está acostumado, pode começar jejuando até o meio dia. Todavia, o jejum requer disciplina: não volte à mesa ou à geladeira ao primeiro roncado do estômago! É natural que você, como Jesus, tenha fome durante o jejum (Mt 4.2). Não pense que Deus operará um milagre para seu estômago sentir-se saciado (até pode ser que isso aconteça, mas não é regra, nem deve ser sua expectativa).

Por último, quando for encerrar seu jejum, novamente ora a Deus, crendo que está agora mais forte do que quando começou o jejum, e confiando que o Senhor fará o que for melhor em relação as causas que você a Ele.

Casado, bacharel em teologia (Livre), evangelista da igreja Assembleia de Deus em Campina Grande-PB, administrador da página EBD Inteligente no Facebook e autor de quatro livros.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Trending