Siga-nos!

comunicação

Marketing é missão!

“Ganhar almas é o negócio de todos os cristãos” – Charles Spurgeon

Rodrigo Motta

em

Dardo no alvo. (Foto: NomadSoul1)

“Portanto, vão a todos os povos do mundo e façam com que sejam meus seguidores, batizando esses seguidores em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-os a obedecer a tudo o que tenho ordenado a vocês. E lembrem disto: eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos.” – Mateus 28:19-20

Marketing é uma ferramenta de missão. Nos tempos atuais, uma ferramenta poderosa para cumprir o comissionamento deixado por Deus a todos nós. Há quase quatro anos deixei o mercado secular e tenho me dedicado exclusivamente a fortalecer essa afirmação entre líderes de igrejas no Brasil.

Essa coluna, que iniciamos hoje, se dedicará a propor o assunto de uma forma diferente: quero que você tenha claro que marketing e comunicação vão muito além da produção de um boletim, do desenvolvimento de um bom design, da gestão de redes sociais e a construção de um site.

Marketing, por definição, é uma transação entre duas pontas (pessoas, marcas, igrejas) onde uma precisa convencer a outra de sua verdade, sua capacidade, sua beleza, seus benefícios, sua vida e, por aí, vai. E, neste caso estamos em vantagem: a Verdade está em nós!

Charles Spurgeon diz que “ganhar almas é o negócio de todos os cristãos”. Para o americano George Barna, um dos ícones da comunicação cristã, “o marketing é o meio para anunciar o Evangelho de Jesus Cristo”.

Marketing e/ou comunicação, como você queira chamar, só faz sentido em nosso meio se os utilizarmos com ferramenta de convencimento com objetivo de nos conectarmos a outras pessoas e, a partir deste relacionamento, podermos anunciar o amor de Jesus.

Para os puritanos, digo já: esqueçam o paralelo entre Jesus e um produto. Não há qualquer relação nem intenção que percorra esse caminho.

O que o marketing cristão precisa estabelecer é uma conexão entre pessoas e pessoas, pessoas e igrejas, pessoas e missões onde o fio condutor e o elo narrativo desta conversa é Jesus. De outro modo, melhor ficamos sem o marketing a nosso favor.

O que temos visto em nosso meio é que o assunto comunicação está na moda. Muita gente falando e produzindo conteúdo sobre o assunto, mas pouco – de fato – temos visto em iniciativas que promovam relacionamentos, que objetivem transformação de vida, que anunciem Jesus Cristo e que aumentem o Reino de Jesus aqui para que se cumpra o texto de Mateus 28.

O Marketing, a serviço do Reino, não pode ser baseado na promoção de eventos, personagens, pessoas. O marketing cristão se preocupa em produzir e melhorar os conteúdos de nossas igrejas com o objetivo de torna-los adequados, criativos e contextualizados.

O marketing cristão não deve se preocupar com números de membros em um espaço/igreja/rede social e, sim, com a quantidade de pessoas ouvindo sobre Jesus para que se cumpra a volta do Eterno. O Marketing cristão busca tornar o nome de Jesus ainda mais conhecido de forma obstinada. Afinal, se estamos nessa jornada, tudo deve ser Dele, por Ele e para Ele.

Convido você pastor, líder e profissional de comunicação a embarcar nessa jornada comigo. Vamos discutir temas, técnicas, dicas e tendências do mundo da comunicação e, sempre, fazer um filtro para entender como essas ferramentas nos ajudam a equipar a missão de nossas comunidades.

Nasceu em São Paulo, casado com a Viviana e pai da Maria Luiza. Jornalista e publicitário com passagens por algumas das principais empresas do mercado editorial, de comunicação e multinacionais de publicidade no Brasil. É fundador da consultoria de comunicação para igrejas ChurchCOM e é autor do livro Marketing Cristão

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Trending