Siga-nos!

Mundo Cristão

“Lúcifer” não é o nome próprio do diabo, esclarece teólogo

Yago Martins explica que Lúcifer foi considerado um nome cristão até o século IX

Publicado

em



Quem realmente é o “diabo” nas Escrituras? Quem é Lúcifer? Yago Martins, em seu canal Dois Dedos de Teologia, fala sobre o assunto se baseando no livro de Isaías.

“Como você caiu dos céus, ó estrela da manhã, filho da alvorada! Como foi atirado à terra, você, que derrubava as nações!” (Is 14.12 na NVI). Na versão Almeida Corrigida Fiel, o termo “estrela da manhã” é substituído pela palavra Lúcifer.

Acontece que a palavra hebraica que aparece em Isaías não aparece em nenhum outro lugar do Antigo Testamento. “Os tradutores preferiram usar uma transliteração do latim, em vez de fazer uma tradução direta do hebraico”, explicou. Por esse motivo, o nome Lúcifer está em algumas Bíblias e em outras não.

Como ficaria essa tradução do hebraico para o português?

“Muitos teólogos acreditam que essa palavra significa, literalmente, Vênus – a estrela vespertina ou a estrela da manhã”, conta. Então, Lúcifer não representa um nome próprio, mas uma tradução para o latim da palavra “estrela da alva”, a primeira estrela do dia.

“Essa palavra não é necessariamente associada de forma direta ao diabo”, esclarece o teólogo. Por esse motivo, não é estranho encontrar o mesmo termo associado a Jesus, no livro de Apocalipse.

“Eu lhes darei a mesma autoridade que recebi autoridade de meu Pai. Também lhe darei a estrela da manhã.” (Ap 2.28).

Quem é Lúcifer em Isaías 14?

“Lúcifer não é usado para falar do diabo, mas para falar do rei da Babilônia”, respondeu. Não se trata de um termo negativo, segundo Yago que acredita que algumas traduções são “um tanto problemáticas”.

Em seu vídeo, ainda deixou uma observação sobre um “santo” da igreja católica chamado São Lúcifer. “Lúcifer Calaritano foi um bispo de Cagliari, na Sardenha, e é um santo cristão conhecido. Sua festa no calendário da igreja católica é dia 20 de maio. Uma capela na Catedral de Cagliari é dedicada a São Lúcifer, que era um nome cristão até o século IX”.



Publicidade
Publicidade