Siga-nos!

devocional

Lance a sua flecha para o alvo!

Antes de lançar a flecha, o guerreiro precisa estar pronto, conhecer a direção e ter uma boa pontaria

Cris Beloni

em

Pai ergue filho com o braço (Naassom Azevedo / Unsplash)

“Como flechas nas mãos do guerreiro são os filhos nascidos na juventude.” (Salmos 127.4)

Vamos ao contexto desse salmo. Tanto o 127 quanto o 128, enfatizam a importância da família, que é a base de tudo. O 128 enfatiza mais o matrimônio, que é o início.

Segundo o hebraísta Luiz Sayão, é provável que esse salmo tenha sido muito usado em casamentos naquela época. Já o 127, fala da formação da família.

Perceba que o salmo começa exaltando a Deus como “o construtor do lar”, que concede filhos ao casal, que forma então uma pequena comunidade abençoada. E o texto mostra que dependemos de Deus para a formação dessa família.

“Se não for o Senhor o construtor da casa, será inútil trabalhar na construção. Se não é o Senhor que vigia a cidade, será inútil a sentinela montar guarda. Será inútil levantar cedo e dormir tarde, trabalhando arduamente por alimento. O Senhor concede o sono àqueles a quem ama. Os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que ele dá.” (Salmos 127.1-3)

Lembrando que um salmo era uma canção. Imagine o povo peregrinando e cantando o que estamos lendo agora. Naquela ocasião, as pessoas estavam em festa, pois deixaram o exílio e estavam subindo para Judá e Jerusalém. E eles estavam muito felizes. Mas o que exatamente eles queriam dizer como essa frase:

“Como flechas nas mãos do guerreiro são os filhos nascidos na juventude”

As flechas eram lançadas pelos guerreiros sempre com a intenção de atingir um alvo. Dessa forma, entendemos que precisamos educar nossos filhos com objetivos bem definidos.

Na hora certa, temos que “lançar” nossos filhos pra longe de nós, para o alvo que Deus determinou desde que eles nasceram. É uma tarefa fácil? Não, nenhum pouco. Porque antes de lançar a flecha, o guerreiro precisa estar pronto, conhecer a direção e ter uma boa pontaria.

Mas, nem sempre a gente tem essa visão. Porque como seres humanos e como pai e mãe, nós queremos ver a flecha sempre protegida dentro da aljava. Não é assim? Filho dentro de casa é mais seguro. Filho do nosso lado é flecha junto do arqueiro. Mas, isso é só durante o tempo determinado por Deus – que é o tempo do treino.

Enquanto a flecha está em nossas mãos, cabe a nós cuidar da lâmina e também fazer com que a flecha sinta-se à vontade no arco. Você não estava esquecendo do arco, né? Um flecheiro que manuseia bem o arco é como uma pessoa que manuseia bem a Palavra de Deus – não só lendo, mas refletindo nela pra entender, vivendo essa palavra e praticando ela no dia a dia.

Fazer a sua flecha se encaixar nesse arco é ensinar o seu filho a se encaixar no plano de Deus, se preparando para o alvo que Ele mesmo determinou.

Agora vamos observar que o texto que estamos estudando hoje, fala da flecha “na mão do guerreiro”. E guerreiro de Deus é destemido, é ousado, é determinado. Vai pra guerra sabendo que tem armadura (o cinto da verdade, a couraça da justiça, o escudo da ) como descreve Efésios 6. Além disso, o guerreiro se identifica com o seu Senhor.

Veja:

“O Senhor é a minha força e a minha canção; ele é a minha salvação… O Senhor é guerreiro…” (Êxodo 15:2-3)

“Quem é o Rei da glória? O Senhor forte e valente, o Senhor valente nas guerras.” (Salmos 24.8)

“O Senhor levanta a sua voz à frente do seu exército; Como é grande o seu exército! Como são poderosos os que obedecem à sua ordem.” (Joel 2.11)

Hoje em dia, quando falamos em “guerras” no palavreado bíblico, estamos falando das nossas dificuldades humanas, das nossas batalhas no dia a dia. E dentro desse contexto “das flechas”, é a luta que travamos pra proteger e defender os nossos filhos desse mundo maluco que estamos vendo.

E tem mais um detalhe importante no texto:

“Como flechas nas mãos do guerreiro são os filhos nascidos na juventude. Como é feliz o homem cuja aljava está cheia deles! Não será humilhado quando enfrentar seus inimigos no tribunal.” (Salmos 127.4-5)

De acordo com esse texto, o casal que começa a ter filhos na juventude, pode “encher a aljava”, ou seja, ter vários filhos. Naquela época, quanto mais filhos maior a proteção de uma família, já que eles lutariam juntos diante das batalhas. Se o pai fosse injustamente acusado no tribunal, quanto mais filhos, mais testemunhas de defesa. Aplicado aos dias de hoje, entendemos que a força da família está em se manter unida, aconteça o que acontecer.

Se você tem filhos, essa é uma palavra que vai te encorajar. Lance a sua flecha para o alvo. E se você ainda não se casou ou não teve filhos, não pense que essa palavra chegou até você em vão. Nessa vida, temos uma família que é da terra e uma família que é do céu. Em Cristo, nós formamos uma família e temos nossos “filhos espirituais”. Você já pensou nisso? Quantas pessoas estão agora aprendendo da Palavra com você? Eles são “seus filhos na fé”.

Paulo se referiu assim a Timóteo: “meu verdadeiro filho na fé” (1 Timóteo 1.2)

Ele também disse aos coríntios:

“Embora possam ter dez mil tutores em Cristo, vocês não têm muitos pais, pois em Cristo Jesus eu mesmo os gerei por meio do evangelho. Portanto, suplico-lhes que sejam meus imitadores.” (1 Coríntios 4.15-16)

Se você tem “gerado filhos na fé”, e está com a aljava cheia, então também prepare-se para lançar as suas flechas. Não importa qual a sua idade e onde você esteja, lembre-se que Paulo gerou um filho dentro da prisão e o lançou para o alvo certo:

“Eu, Paulo, já velho, e agora também prisioneiro de Cristo Jesus, apelo em favor de meu filho Onésimo, que gerei enquanto estava preso. Ele antes lhe era inútil, mas agora é útil, tanto para você quanto para mim. Mando-o de volta a você, como se fosse o meu próprio coração.” (Filemom 1.9-12)

Estude a Bíblia no Telegram

No grupo de estudos Bíblia Investigada você poderá tirar muitas dúvidas sobre vários textos bíblicos. A proposta de trabalho está baseada no jornalismo, sempre em busca de compreensão das Escrituras através de pesquisas e reportagens que incluem expressões idiomáticas, costumes judaicos e cultura dos povos antigos.

Aqueles textos que parecem confusos ou que são usados de forma inadequada podem ganhar um novo sentido e mudar nossas vidas de maneira muito positiva. A Bíblia é incrível! Quanto mais nos aprofundamos em seus ensinamentos, mais nos transformamos e caminhamos em direção ao Criador.

Se você quer fazer parte desse grupo, acesse gospelpri.me/biblia-investigada

Jornalista e pesquisadora apaixonada pela Bíblia. Desenvolveu um trabalho de "Jornalismo Investigativo Bíblico", é autora dos livros Derrubando Mitos e Apocalipse Investigado. Seus temas envolvem missões transculturais, Igreja Perseguida, teorias científicas, escatologia e análises de textos bíblicos.

Trending