Siga-nos!

Mundo Cristão

Igreja continua crescendo no Irã, mesmo sob intensa perseguição

Aqueles que não negam a Cristo enfrentam prisões, torturas ou isolamento

Avatar

Publicado

em

Irã
Publicidade


Só neste ano, o Irã prendeu mais de 55 cristãos por causa de sua fé. Além da pressão para que prevaleça o islamismo no país, há muita violência e prisões desnecessárias para aqueles que se decidem pelo cristianismo.

Um dos exemplos em destaque é o caso do pastor Yousef Nadarkhani que é considerado uma “ameaça à segurança nacional”. Ele ficou internacionalmente conhecido, após ter sido condenado à morte por apostasia. Embora ele tenha sido absolvido dois anos depois, foi preso repetidas vezes como forma de “intimidar a comunidade cristã” naquele país.

Publicidade

Leia mais...

“O regime iraniano continua violando a lei internacional sobre a liberdade de religião ou crença. Nos últimos quatro meses, cerca de 20 cristãos iranianos foram presos ou condenados à prisão”, explicou o advogado Kia Aalipour, que representa a Article 18, uma organização que trabalha em favor dos cristãos iranianos.

Amin Afshar Naderi, que se converteu do islamismo ao cristianismo, recebeu uma sentença de 15 anos. “O processo judiciário é mais longo e geralmente acontece com ameaças para coagi-los a deixar o país. Aqueles que recebem sentenças altas são cristãos que se recusam a ser intimidados e a deixar o país após suas primeiras detenções”, esclareceu ao ministério Portas Abertas.

Igreja cresce apesar da perseguição

Publicidade

Kia explica por que ele acha que o governo está aumentando a pressão sobre os cristãos.

“O número de cristãos convertidos aumentou e isso tem alarmado as autoridades iranianas. Eles começaram a impor mais restrições às igrejas, especialmente àquelas frequentadas por cristãos de origem muçulmana. O governo também continua sua política de empobrecer ativamente os cristãos pedindo fianças exageradamente altas”, disse.

Embora os cristãos estejam enfrentando todas essas dificuldades e tenham que viver isolados, isso não significa que a igreja enfraqueceu. Pelo contrário, depois de tanta luta a tendência é que os cristãos fiquem ainda mais fortes e decididos pelo evangelho.

Publicidade

“Depois das prisões, a maioria dos membros da nossa igreja começou a falar às suas famílias com mais ousadia sobre Cristo, e muitos novos convertidos se juntaram a nós. E, apesar do que aconteceu, ainda nos encontramos e saímos em viagens de evangelização. Apesar de nossas fraquezas, Deus tem nos usado”, disse uma líder cristã.

Apesar dos riscos, líderes da igreja secreta no país não perderam a esperança. “Sou grato por poder servir a Deus no Irã. Apesar de todos os problemas e dificuldades, a misericórdia e a graça de Deus estão sempre conosco. E nós somos gratos por aqueles de fora do Irã que nos apoiam. Deus tocou seus corações”, concluiu outro líder.




Gosta do nosso conteúdo? Considere ajudar nosso ministério! Saiba mais em apoia.se/gospelprime


Comente!
Publicidade
    Publicidade
    Publicidade

    Trending