Siga-nos!

Escritor consegue o direito de ser considerado israelense em seu documento e não judeu como é de costume

A justiça concedeu a ele o direito de não ter ligação com nenhuma religião baseada nos direitos humanos

em

Tribunal de Tel Aviv reconheceu o direito do escritor israelense Yoram Kaniuk de ter em seu registro de estado civil a inscrição “sem religião” e não como pertencente à religião judaica e agora ele terá em seu documento a inscrição “israelense” e não “judeu”.

O escritor tem 81 anos e considerou essa decisão como “histórica” já que ela estabelece uma jurisprudência. Primeiramente Kaniuk solicitou ao ministério do Interior a eliminação de qualquer menção honrosa em seu documento, como não teve sucesso, ele recorreu à justiça declarando que não desejava pertencer “ao que se chama de religião judaica em Israel”.

O processo foi aberto em maio e na semana passada o tribunal de Tel Aviv considerou que qualquer cidadão tem o direito de definir-se como “livre de religião”, de acordo com a lei fundamental israelense sobre a liberdade e a dignidade humanas.

O direito conquistado pelo escritor é um pedido antigo da associação “Eu sou israelense”, que já recolheu milhares de assinaturas de apoio para que a palavra “israelense” seja adotada nos registros de estado civil. Existem 134 grupos nacionais reconhecidos pela lei de Israel, incluindo minorias religiosas, mas não o “povo israelense”.

Com informações AFP

 

Publicidade