Siga-nos!

entrevistas

“A maior mentira do diabo é que a fé e a ciência são inimigas”, diz médico

Jovem médico enfrentou um câncer no cérebro e atribui a Deus sua cura.

Cássia de Oliveira

em

Antonio Celso Moraes Filho

O médico evangélico Antônio Celso Morares Filho, de 27 anos, foi surpreendido com o diagnóstico de um tumor no cérebro durante seu último ano na faculdade de Medicina na Universidade Santo Amaro, no ano passado, após um episódio de convulsão de quase 15 minutos enquanto viajava de ônibus.

Em entrevista ao Gospel Prime, Antônio contou como foi a experiência de estar do outro lado como paciente e de como Deus demonstrou seu poder durante todo o processo do câncer até a cura. Vindo de uma família cristã de médicos, hoje já formado e atuando como médico, Antônio tem testemunhado o milagre que viveu.

Leia na íntegra: 

O que te fez escolher a carreira de Medicina?

Desde a infância vi de perto o exercício da medicina pelo meu pai, Antonio Celso Moraes, médico cirurgião – que dedica até hoje sua vida aos seus pacientes – e como ele demonstrava ser tão apaixonante esta profissão. Nunca fui exigido de seguir a mesma carreira, mas cresci vendo seu esforço e dedicação com o próximo, e hoje apresento a mesma satisfação e privilégio em poder ajudar meus pacientes.

Como foi receber o diagnóstico que estava com um tumor no cérebro tão jovem e como um profissional consciente da gravidade da situação? Como sua família, colegas e amigos reagiram? 

Foi um grande susto, em especial à minha família. Pensei em como seria para eles ficarem sem mim; como seria para minha namorada, também tão jovem, perder seu namorado; em não poder exercer a profissão que estaria dali a três meses em minhas mãos. Mas mais do que tudo isto, o que mais me deixou assustado era: “Deus, seus planos acabaram pra mim?” Eu mal sabia que seus planos estavam apenas começando! Minha família me passou toda força possível e impossível, sem eles não sei o que seria.

Como foi o processo da cirurgia até o tratamento de radioterapia para você? Quais eram os riscos e chances deste tipo de procedimento cirúrgico?

Toda neurocirurgia não é simples, quanto mais a retirada de um tumor. Porém, Deus mostrou sua mão desde o começo. A localização do tumor (lobo temporal direito) era uma das melhores localizações para não deixar tanta sequela; se fosse no lado esquerdo, por exemplo, poderia acometer a fala; se fosse na região occipital poderia acometer a visão; mas na região deste tumor era uma das mais seguras. Meu neurocirurgião, Dr. Rogério Aires, passou extrema confiança em seu trabalho e foi um instrumento usado por Deus.

Após a cirurgia, aguardei o começo da radioterapia, e durante este processo a cada dia que se passava Deus me lembrava das promessas que tinha me dado. Recebi profecias de que “Ele iria me levar alto, mas antes Ele iria me marcar”; “O que Ele iria fazer tocaria pessoas no Brasil todo”; “Não iria se restringir em cidades, nem estados, mas iria se espalhar”. E hoje enquanto escrevo, dou risada, de como este tempo chegou! Como Deus é fiel!

Há um tempo, não era comum encontrarmos médicos cristãos. Hoje, estamos presenciando que muitos da nova geração de evangélicos está escolhendo a carreira médica. Como você enxerga todo esse movimento?

Sem sombra de dúvidas acredito que é a mão de Deus. Por um grande tempo a igreja se prendeu dentro de suas quatro paredes, mas é tempo de nós sairmos delas. Já dizia em Mateus 5.14: “Vocês são a luz do mundo. É impossível esconder uma cidade construída no alto de um monte”. O mundo precisa descobrir os verdadeiros cristãos em todas as esferas da sociedade, seja na medicina, no direito, no entretenimento, na comunicação, na educação, etc. O que precisamos fazer é nos prostrar e dizer: “Deus, eis-me aqui, usa-me a mim, aonde o Senhor quiser”.

Como você relaciona sua com a ciência? Acredita que a ciência é também um instrumento de Deus para operar milagres?

Foi durante o período do ensino médio enquanto estudava sobre a evolução, que tive meus maiores conflitos entre a fé e a ciência; mas foi neste período em que fui batizado no Espírito Santo e em línguas. A maior mentira do diabo é que a fé e a ciência são inimigas. Na realidade quanto mais você estuda a ciência e mais busca a Deus, mais as coisas se encaixam! A ciência não veio para negar a existência de Deus, mas para evidenciar a complexidade da vida e que sem um Criador, nada seria tão perfeito.

Deus pode operar seus milagres de forma sobrenatural em instantes, mas assim como fez comigo, Ele também opera em processos! E usa a medicina para isto. Se Ele permitiu o avanço tão grande da medicina, porque Ele iria deixar de usá-la?

Você encontrou algum desafio na universidade em relação a sua fé e aos princípios bíblicos?

Na realidade, durante o ensino médio eu já estava com uma fé bem consolidada para conciliar a ciência a Deus. E cada vez que eu aprendia mais sobre a complexidade do organismo humano, eu ficava fascinado pelos detalhes de Deus ainda mais. Meu maior desafio foi em relação a não amar mais o mundo do que aos princípios de Deus.

Durante a faculdade tudo é novo e infelizmente rola muitas drogas, bebidas e promiscuidades. Mas Deus foi tão bom que no segundo ano da faculdade, Ele já me presenteou com a namorada mais linda de todas, que conseguiu me ajudar a manter o pé firme.

Durante a radioterapia você conciliou o tratamento com o internato para cumprir o último ano de Medicina. Como foi essa experiência de ser médico e ao mesmo tempo paciente?

Faltava apenas um mês para terminar a faculdade, quando começou meu tratamento de radioterapia. Não poderia deixar de citar mais um episódio de como Deus é detalhista. A radioterapia foi marcada para a região do centro de São Paulo, Hospital LeForte Liberdade, e meu último estágio seria num hospital na região Sul. Seria muito difícil sair da radioterapia, atravessar o trânsito pra chegar a tempo no meu estágio. Mas Deus é tão detalhista, que justo neste último estágio a faculdade mudou o meu grupo de internato para um hospital na região do Centro de São Paulo! Como Ele escreve tudo perfeito!

Eu saía da radioterapia e ia direto ao hospital de estágio. Não tive nenhuma sequela. Fui alertado de que poderia ter convulsão ou dores de cabeça, porém nada me afetou.

Eu tenho certeza que Deus permitiu me tornar paciente no meu último semestre da faculdade para entender mais a sensibilidade de cada paciente. E hoje tenho outro olhar para eles, pois já estive do outro lado.

Acredita que sua história com o câncer foi um testemunho vivo do poder de Deus durante seu internato no hospital para seus colegas e pacientes? Qual era a reação das pessoas ao saberem que seu médico também estava lutando contra um diagnóstico?

Meus colegas e pessoas ao meu redor não estavam entendendo o que tinha acontecido devido a gravidade da doença, e eu estar tão bem ali trabalhando normalmente. De onde vinha esta força?

Eu não tenho dúvida de que Deus permitiu todo este processo para que o nome dEle fosse exaltado. Em João 9 ilustra um cego de nascença e os discípulos de Jesus perguntando: “Rabi, por que este homem nasceu cego? Foi por causa dos seus pecados ou de seus pais?” e Jesus responde: “Nem uma coisa nem outra, mas para que o poder de Deus se manifestasse nele”.

A cirurgia para a retirada do câncer foi um sucesso, o Senhor te curou e você se formou em Medicina. Qual o seu sentimento diante deste incrível milagre? 

O dia finalmente chegou! Pude abraçar e comemorar a conquista com minha família e agradecer a Deus por tudo que fez. Costumo dizer que Deus é o maior escritor da história. Cada história linda que Ele escreve!

Eu creio que agora começou a jornada que Ele tem pra mim, podendo fazer a diferença na vida das pessoas. Digo que 2020 foi o ano da fé, e 2021 será o ano da gratidão!

Como médico cristão, o que te faz diferente de outros profissionais da medicina que não possuem uma fé?

Acredito que existam muitos profissionais que não tenham fé em Deus, mas que tratam o próximo com muito mais amor e dedicação que muitos cristãos. Porém, acredito que a diferença está em que quando as coisas apertarem eu tenho alguém que vai me socorrer.

Quais os seus planos para o seu futuro agora?

Meus planos para este ano é trabalhar em plantões e estudar para entrar na residência de cirurgia geral e digestiva, e depois me especializar na área oncológica dentro da digestiva. Pretendo também escrever um livro contando minha história e a fidelidade de Deus. Mas como costumo dizer, que os planos dEle se tornem os meus.

Qual mensagem você deixaria para alguém que está passando pelo câncer ou outras doenças?

Querido irmão, sei como é difícil estar desse lado, porém uma coisa que Deus me mostrou é “se você tiver a fé do tamanho de um grão de mostarda, você dirá para a montanha se mover e ela moverá!”. Confie em Jesus, porque o que Ele prometeu, Ele é fiel para cumprir! Não dê ouvidos ao diabo, nem a pessoas que destroem a sua esperança. Ele é o mesmo de ontem, hoje, e será eternamente. Ele é fiel!

Você pode gostar
Será que o público entende quando você prega?
Adquira o curso que é focado em desenvolver e destravar a Oratória de futuros Líderes Cristãos.
SAIBA MAIS! »

Termine o ano memorizando a Bíblia!
Memorize os livros da Bíblia e suas passagens de um jeito super dinâmico. Fortaleça sua fé para comunicar a Palavra de Deus do jeito fácil!
SAIBA MAIS! »

Se capacite em administrar melhor suas finanças!
Veja como você pode ser mais próspero financeiramente à luz da Palavra de Deus.
SAIBA MAIS! »

Jornalista formada pela UFRGS. Repórter da AD Guaíba, colunista do Blog Nam.orei e colaboradora do Blog Ultimato Jovem. Anunciando boas novas.

Trending