Siga-nos!

Opinião

Pastor “feijão com arroz”

Armando Taranto Neto

em

Agradeço a Deus pelo dom de poder alcançar os jovens e adolescentes através do ensino e ministração da Palavra de Deus.

Há alguns dias fui convidado para uma explanação aos adolescentes. Foi muito proveitoso. O tema abordado: Escatologia.

Ao final, em uma conversa, o líder geral do departamento me confidenciara que a diretoria havia pensado em trazer para a ministração um “Pastor de Renome”, com uma mensagem tipo “Tutano”, mas decidiram não “Investir” nesse aspecto, resolvendo, assim, trazer um pastor com uma mensagem “Arroz com Feijão” mesmo.

No momento não me manifestei, mas pensei com meus botões:

“ – Bem, se decidiram por um Pastor com uma mensagem “Arroz com Feijão”, e o convidado foi eu, logo,  sou um “Pastor Arroz com Feijão”, óbvio!”

Desde que fui chamado pelo Senhor para o ministério jamais tive a pretensão de ser um “Pastor de Renome”, apenas quis ser uma voz em meio as necessidades espirituais, onde quer que estivesse.

Quando tomo conhecimento dos absurdos, heresias, vendas de “Unções”, escândalos e desvios doutrinários ensinados por alguns “Pastores de Renome” agradeço a Deus por ter sido chamado ao Pastorado “Arroz com Feijão”.

Uma certa vez um colega ministerial me fez a seguinte colocação:

“ – Pastor Taranto, você sabe por que teu ministério não é conhecido?

“ – Sabe por que você ainda não tem projeção nacional?

Ao que respondi: “ – Não, por que?

À queima roupa me respondeu:

“ – Porque você não cobra para pregar a Palavra de Deus. Quando você começar a cobrar para ministrar você será reconhecido.”

Nada respondi, mas pensei:

“ – Reconhecido por quem? Pelos homens?”

Vejam só como está distorcida a visão concernente à nossa chamada ministerial.

Por um lado temos aqueles que são conscientes de sua divina chamada e abrem mão de tudo para que a Palavra seja pregada, vivendo completamente da dependência do Pai e da generosidade dos irmãos. São aqueles que pregam a verdade; não fazem parte do “Sistema” em que se transformou a igreja desses últimos dias; são os discriminados, desconsiderados, exatamente porque não pregam o que o auditório gosta de ouvir, são os “Pastores Arroz com Feijão”.

No contraponto estão os “Pastores de Renome” com suas mensagens “TUTÂNICAS” (Tutano para alguns é sinônimo de heresia, auto-ajuda, lavagem cerebral e desvio doutrinário), enfim, estes abomináveis mercenários raspam o gazofilácio das igrejas que os convidam, e os líderes, por incrível que pareça, se sentem abençoados pelo espólio (roubo).

Por isso que a Igreja de Cristo está enferma, sofrendo com altas taxas de Triglicerídeo e Colesterol espiritual. Está quase enfartando, com suas artérias entupidas pelas gorduras provenientes do excesso de “Tutano”.

Enquanto isso, quase imperceptível, está a Igreja  vivaz, sofredora, Cristo dependente, mas saudável.

Afinal “Tutano” é coisa para se comer alguma vez na vida, mas “Arroz com Feijão”, bem “Arroz com Feijão” nós não conseguimos viver sem   “E L E”.

Se você também é um Pastor “Arroz com Feijão”, saúde!!!

Graduado em Teologia. Pós-graduado em Teologia Bíblica. Mestre em Sociologia da Religião. Doutorando em Teologia.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Trending