Siga-nos!

igreja

Victor Azevedo nega inspiração bíblica e cai “numa velha heresia”

Jovem pastor acredita que a Bíblia “deve ser colocada no lugar dela”.

Neto Gregório

em

Victor Azevedo. (Reprodução / Youtube)

Victor Azevedo, pastor da Igreja Por Amor em São Caetano do Sul (SP), fez uma transmissão ao vivo nas redes sociais da sua igreja para ensinar os fiéis “como ler a Bíblia“. Para ele, a Bíblia enfraqueceu a “Palavra de Deus” e deveria “ser colocada no lugar dela”.

Em tom jocoso, disse que as Escrituras viraram “uma pessoa da trindade”. Azevedo acredita que a consciência de que a Bíblia “é uma biblioteca de livros” faria o cristão entender corretamente o texto sagrado.

Para ele, “você pode pregar a Bíblia a vida inteira, mas nunca pregar o evangelho”. O jovem pastor afirma que as palavras de Jesus não podem ter “o mesmo nível de igualdade” de outros textos das Escrituras.

“Me parece que foi aí que Jesus perdeu o poder e completamente o lugar que Ele deveria ter na vida da igreja”, enfatizou. “Jesus se tornou só algumas páginas da ‘Palavra de Deus'”, completou.

Em sua “aula”, ele acredita ser inconcebível ter fé no que Cristo falou, e, ainda sim, seguir algumas partes da Bíblia.

“Se a Bíblia é a Palavra de Deus, eu tenho um versículo para mandar matar alguém. Eu tenho versículo na Bíblia para não perdoar. Eu tenho versículo para dizimar e para não dar o dízimo”, enfatiza.

Azevedo salienta que “ama a Bíblia”, mas que ela é apenas uma sombra. “Não existe livro sagrado. Isso aqui é só um livro”, complementa.

Além de invalidar todo o Velho Testamento, Victor assevera que até os escritos inspirados pelo Espírito Santo dos apóstolos Paulo e Pedro devem ser “checados”. “Não é só o que passou para traz [Velho Testamento], é o que aconteceu para frente também [Novo Testamento pós evangelhos]”, diz.

Muito criticado nas redes sociais por diversos pastores e teólogos, Azevedo acredita que está no caminho certo. “Sabemos da resistência, mas Jesus é suficiente”, pontuou em seu Instagram.

 

Velha heresia

Para o pastor e teólogo Andrei Alves, negar a inspiração bíblica é a mesma heresia contada pela serpente a Adão e Eva. “Uma falsa compreensão sobre o que Deus havia falado a eles, mas no final era apenas morte”, afirma.

“Sabemos que a base do cristianismo está na Bíblia”, diz, por isso, a estratégia do diabo é a “desconstrução desses valores desde a primeira tentação”. Essa estratégia consiste em “retirar toda a mensagem de Deus revelada ao homem”.

O pastor lembra que a doutrina da inspiração é basilar na fé cristã, como lembra 2 Timóteo 3:16, e que “não há parte alguma das Escrituras que não seja concedida pelo ‘sopro de Deus'”.

O teólogo cita o termo grego θεόπνευστος, que significa “soprado por Deus”, e explica que “a doutrina da inspiração se refere ao processo em que Deus se comunicou de maneira especial com alguns homens, por meio da influência do Espírito Santo, a fim de que eles escrevessem os textos das Escrituras Sagradas. Toda mensagem proferida por Deus foi declarada a esses homens e perfeitamente transmitida.”

O líder enfatiza que “a Bíblia é inteiramente a Palavra de Deus” e que “em cada página e em cada palavra repousa o poder das palavras liberadas por Deus ao homem”.

“Se Jesus Cristo é o logos, nós diminuímos a revelação de quem Ele é desconsiderando o poder das profecias que anunciaram a Sua vinda. O diminutivo de Jesus Cristo estaria em diminuir qualquer palavra das Escrituras”, conclui.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Trending