Siga-nos!

Vice-presidente do Irã acusa o judaísmo de incentivar as drogas

Israel respondeu comparando Reza Rahimi com Adolf Hitler acusando o governo iraniano de planejar a execução dos israelenses

Avatar

em

O clima entre Irã e Israel continua tenso, dessa vez o vice-presidente iraniano, Reza Rahimi, declarou que o judaísmo incentiva o uso de drogas. Ele discursava durante um encontro para discutir o método de combate às drogas patrocinado pela ONU.

“A proliferação das drogas no mundo emana dos ensinamentos do Talmude [livro sagrado do judaísmo]”, afirmou o segundo homem na hierarquia do Irã.

Sua explicação sobre essa tão polêmica afirmação foi de que o “Talmude ensina que é lícito enriquecer tanto por meios legais quanto ilegais, o que dá aos judeus o direito de destruir a humanidade”.

Muitos dos presentes ficaram indignados com a declaração antissemita. “Foi o discurso mais nojento que já ouvi na vida”, disse um representante europeu. A polêmica deixa ainda mais exposto o desejo já declaro por Mahmoud Ahmadinejad de aniquilar Israel.

Em declaração, o governo israelense chamou o Irã de “regime de fanáticos antissemitas e comparou Rahimi a Adolf Hitler, o líder nazista que exterminou milhares de judeus na Segunda Guerra Mundial”. Há quem acredite que o presidente iraniano esteja querendo, com essa polêmica, demonstrar influência com outros países e assim minar as negociações nucleares das quais Ahmadinejad foi excluído.

Com informações Folha de São Paulo

Publicidade