Siga-nos!

cosmovisão

Vencendo a depressão

Existem alguns tipos de atuação maligna contra a vida das pessoas.

em

Depressão
Depressão (Foto: Direitos Reservados/Deposiphotos)

Muitos estão lutando, às vezes sem saber o porquê. Sentem algo ruim no coração, que só sai, quando sentem um encontro com Deus. Às vezes, o crente está tão desanimado que lhe parece que Deus não ouve as suas orações. São lutas e ataques do inimigo lhe pressionando.

Existem alguns tipos de atuação maligna contra a vida das pessoas. A mais comum de todas é a tentação, quando o inimigo nos aponta um caminho ou nos empurra para uma decisão. Depois da tentação, há outra operação chamada de opressão. Oprimir significa fazer uma força de fora para dentro. Muitas vezes o ser humano está oprimido pelas lutas, pelos problemas financeiros, pelas doenças. Parece que forças externas estão o esmagando.

Existe também a depressão. Quando aquela opressão leva as pessoas ao desespero, angústia e ansiedade. Aqueles problemas que estavam fora, entram para dentro da pessoa, gerando a depressão. A pessoa sente-se um derrotado. Sente-se pior que os outros. Quando o ser humano chega nesse estado, o inimigo coloca a obsessão. Ele diz assim: “Olha, o teu único escape é fazer isso”. A vítima coloca aquilo na cabeça e ninguém mais consegue tirar dali. Ela nem consegue mais raciocinar. Não consegue mais ponderar sobre as opções que pode tomar e vai cego naquela direção.

Judas Iscariotes foi vítima, primeiro, da tentação de Satanás. Possivelmente, depois de ser tentado veio a opressão e Judas sentiu a necessidade de dinheiro. Então Judas foi roubando o dinheiro da bolsa de Jesus. A Bíblia diz que um abismo chama outro abismo. Quando a pessoa cede e peca, aquele pecado vai trazendo outros pecados maiores. Judas foi se aprofundando no seu pecado até chegar o momento em que ele traiu Jesus.

Quando ele estava com as trinta moedas de prata na mão e Jesus estava entregue nas mãos dos pecadores, a depressão se apossou do traidor. Ele correu até o templo e tentou devolver aquelas moedas. Eles não aceitaram. Então Satanás colocou em seu coração uma obsessão: “A minha única saída é matar-me”. Ele suicidou-se e partiu para o outro lado da vida porque foi dominado por uma obsessão.

Qualquer um de nós pode ser atacado por esses tipos de estratégias do diabo. Mas, quando ele vem com qualquer um dos seus ataques, nós temos que saber reagir e nos defender.

“Há uma maneira simples e eficaz para vencermos os ataques malignos”

A Bíblia nos mostra uma maneira simples, mas poderosa e eficaz para vencermos os ataques malignos. Diz-nos para “olharmos firmemente para o Autor e Consumador da nossa , Jesus Cristo”. Esse é o principal ponto para vencermos as lutas. Nós nunca podemos desviar o nosso olhar para qualquer coisa ou pessoa, a não ser a pessoa de nosso Senhor Jesus Cristo.

Se, naquela hora de depressão, Judas, ao invés de correr para os religiosos, tivesse corrido para Jesus a sua história poderia ser diferente.

Quando Jesus foi preso, Pedro negou-o. Ele foi oprimido e a opressão levou-o a negar a Jesus. Depois ele ficou deprimido e chorou. Aquela depressão levou-o ao estado de desânimo e Pedro foi embora pescar. Mas, quando Pedro estava pescando, o Cristo ressurreto chegou à beira da praia. Pedro viu Jesus, jogou-se na água e nadou ao encontro do Mestre. Ele teve um encontro com Jesus. Talvez ele pensasse que Jesus iria lhe xingar e dizer que ele não prestava.

Mas Jesus perguntou:

− Pedro, tu me amas?
− Sim, Senhor.
− Então apascenta as minhas ovelhas − completou Jesus.

Jesus fez pela segunda vez a mesma pergunta. Pedro respondeu da mesma maneira. Pela terceira vez, o Mestre faz a mesma pergunta. Então Pedro não agüenta:

− Jesus, tu sabes de tudo. Tu sabes que eu te neguei. Tu sabes que eu sou um miserável. Tu sabes tudo. Tu sabes que eu te amo, Senhor.
− Pedro, então apascenta os meus cordeirinhos.

Pedro conseguiu olhar para Jesus. Se ele tivesse ficado deprimido, não teríamos as suas epístolas. Quantos milagres não teriam acontecido. Mas, naquele momento de depressão, Pedro conseguiu voltar os seus olhos para Jesus e reconheceu que Jesus tinha perdoado as suas misérias.

Enquanto olharmos para nós mesmos, para os nossos fracassos, seremos derrotados. Enquanto olharmos para as falhas dos outros ou para as acusações que nos fazem, seremos derrotados. Mas, quando olhamos para Jesus, conseguimos vencer.

“Enquanto olharmos para nós mesmos ou para os outros, seremos derrotados”

Há coisas que não são pecado, mas são embaraços que afastam o homem de Deus. Tiram o tempo da oração, do jejum, da leitura da Palavra, da comunhão com Deus e com a família. O escritor da carta aos Hebreus fala que devemos deixar a ambos. Para isso ele dá a receita: “Vocês devem olhar firmemente para Jesus e ver que esse Jesus trocou o peso da cruz por uma grande alegria que lhe estava proposta. Hoje, porque ele morreu na cruz, está assentado à destra de Deus Pai.

Quando Deus pede para você deixar algum pecado ou embaraço que você gosta e acha que não há mal nenhum, lembre-se de algo. O que você tem que deixar não é nada perto daquilo que Jesus deixou. Ele renunciou o céu, a saúde e a própria vida. Ele foi abandonado por seus parentes, amigos e pessoas a quem ele tinha abençoado. O próprio Deus Pai o abandonou. Mesmo assim, ele foi até o fim e renunciou a tudo em troca da alegria que lhe estava proposta.

Qualquer renúncia que você fizer tem uma alegria proposta em troca. Quando conseguimos ter essa visão, então fica fácil deixar o pecado e o embaraço. Por mais difícil que seja a sua escolha, não será igual a que Jesus fez.

Diz a Palavra que Jesus suportou a cruz, não fazendo caso da vergonha. Imagine Jesus deixando o céu para enfrentar na terra a morte mais vergonhosa da época. Ele fez isso.

Desvie o seu olhar disso que lhe atrai e olhe para Jesus e para a recompensa que ele quer lhe dar em troca.

Em Mc 10.21-22 lemos que “Jesus, fitando-o, o amou e disse: Só uma coisa te falta: Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu; então, vem e segue-me.  Ele, porém, contrariado com esta palavra, retirou-se triste, porque era dono de muitas propriedades.”

Esse homem rico não conseguiu olhar para Jesus. Ele olhou para as suas riquezas. Suponha que Deus diga para você: “Meu servo, escolha entre o seu emprego ou trabalhar na minha obra”. Se você olhar para o seu emprego, não irá largá-lo, porque pensará em todas as vantagens que ele lhe proporciona. Mas, se você olhar para Jesus, vai lembrar das recompensas eternas e das promessas que Deus nos dá a respeito da vida terrena. Então concluirá que aquilo que está nas mãos de Deus é muito melhor que aquilo que está nas suas mãos.

Se desviarmos o nosso olhar para as coisas da terra, seremos seduzidos por elas. Jesus foi mais tentado que qualquer um de nós. O próprio Satanás ofereceu-lhe todos os reinos deste mundo. Ele estava ali como homem. Fraco depois de jejuar quarenta dias, mas ele não aceitou. Hoje, quem sabe, muitos aceitariam adorar Satanás em troca de uma casa.

“Você também não pode olhar para o seu passado ou para os seus fracassos”

Quando olhamos para Jesus, vemos que nada compensa o pecado. Se você for fiel, Deus vai te recompensar.

Veja o que está escrito em Fp 3.12-14 “Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus.  Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus”.

Você também não pode ficar olhando para o passado e para os seus fracassos. Você ficaria deprimido. Paulo sabia que não era perfeito e que no seu passado havia muitas imperfeições. Mas ele esquecia-se delas e via a sua perfeição projetada em Cristo. Ele não se contentava nem se conformava com as suas fraquezas. Mas ele prosseguia para o alvo de tornar-se perfeito.

Satanás procura mostrar para você os seus erros e ele quer que você diga “Ah, eu sou assim mesmo, este é o meu jeito de ser”. Você não pode dizer isso. Você era assim, mas agora está prosseguindo para o alvo que é a perfeição em Cristo Jesus. Você tem que crucificar o velho homem e olhar para o prêmio da soberana vocação. Olhar para Jesus e nunca olhar para trás.

No final do capítulo 7 de Romanos, Paulo começa a se desesperar: “Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado.” Rm 7.24-25.

Mas logo ele reage: “Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito.  Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte” (Rm 8.1-2).

E ele prossegue pelo restante do capitulo 8, transmitindo a mensagem de vitória contra a depressão:

“O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados (Rm 8.16-17).

“Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? (Rm 8.31)”.

“Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? (Rm 33.35)”

Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.  Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes,  nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor (Rm 37-39).

Agora eu lhe pergunto qual dos homens está predominando em você? O deprimido ou o homem espiritual que fez Paulo reagir e proclamar que era um vencedor em Jesus Cristo? Ele tinha confiança em Deus. Certa vez, quando pedia que Deus o livrasse de um espinho na carne, Deus falou-lhe “Não se preocupe, não, Paulo. Não olhe para o problema, mas olhe para mim, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza.”

Para que Deus lhe faça um vencedor, ele não depende de quem você é. Mas de que você se coloque em Suas mãos. O mais importante não é o barro, mas a habilidade do oleiro que vai moldá-lo.

Você pode gostar
Será que o público entende quando você prega?
Adquira o curso que é focado em desenvolver e destravar a Oratória de futuros Líderes Cristãos.
SAIBA MAIS! »

Termine o ano memorizando a Bíblia!
Memorize os livros da Bíblia e suas passagens de um jeito super dinâmico. Fortaleça sua fé para comunicar a Palavra de Deus do jeito fácil!
SAIBA MAIS! »

Se capacite em administrar melhor suas finanças!
Veja como você pode ser mais próspero financeiramente à luz da Palavra de Deus.
SAIBA MAIS! »

Pastor presidente da Igreja Pentecostal Assembleia de Deus - Ministério Restauração, Advogado, foi Diretor Geral do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Presidente da Associação Missionária e Evangelística Heróis da Fé. Bacharel em Teologia, conferencista internacional, escritor e professor de Missiologia.

Trending