Siga-nos!

Mundo Cristão

Vaticano pode permitir que homens casados se tornem padres

A preferência será para indígenas na região da Amazônia.

em

Papa Francisco. (Foto: Associated Press)

Homens mais velhos e casados poderão se tornar padres em regiões remotas da Amazônia, é o que recomenda um documento emitido pelo Vaticano nesta segunda-feira (17).

Esses homens, que hoje só podem ser reconhecidos como diáconos, poderão ter um ministério. A preferência é que sejam homens de ascendência indígena.

“Afirmando que o celibato é uma dádiva para a Igreja, pede-se que, para as áreas mais remotas da região, se estude a possibilidade da ordenação sacerdotal de pessoas idosas, de preferência indígenas, respeitadas e reconhecidas por sua comunidade, mesmo que já tenham uma família constituída e estável, com a finalidade de assegurar os Sacramentos que acompanhem e sustentem a vida cristã”, diz o documento.

Essa é a primeira vez que o Vaticano cogita que homens casados possam se tornar padres. A decisão, porém, é referente a regiões remotas, onde o documento também se mostra interessado em conferir algum ministério às mulheres.

Segundo Dom Mário Antônio da Silva, bispo de Roraima, essa decisão atende as necessidades das próprias comunidades e poderá oferecer aos povos distantes da Amazônia o acesso à eucaristia.

“Teremos a possibilidade maior de ministros ordenados nas próprias comunidades, e, assim, maior frequência das celebrações eucarísticas”, declarou o bispo que também é vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em entrevista ao G1.

Publicidade