Siga-nos!

mundo

Universidade quer “erradicar o racismo” entre “povos cristãos brancos”

Entidade chega a acusar o cristianismo de “contribuir para a desigualdade racial”.

em

Tufts University
Tufts University (Foto: Reprodução/YouTube)

Uma universidade privada dos Estados Unidos chamada Tufts University, de Massachusetts, promoveu um evento com o objetivo de “erradicar o racismo” entre “os cristãos brancos”. O evento foi anunciado com um “retiro sobre a supremacia branca”.

Intitulado “Eliminando o Racismo: Um Retiro Online Para os Cristãos Brancos”, o evento foi realizado em torno de um debate sob o assassinato de George Floyd que, supostamente, “destacou mais uma vez a necessidade de os brancos fazerem seu trabalho”.

O evento está sendo realizado com apoio da Spiritual Grounding, que declarou que o evento leva “os brancos a pesquisarem suas almas” e a “entender como o cristianismo contribuiu para a desigualdade racial”. A organização convida os participantes a “se arrependerem, lamentarem e erradicarem o racismo de [seus] próprios corações”.

Depois que a Campus Reform entrou em contato com o Spiritual Grounding, algumas das frases de seu site foram removidas, de acordo com o Infowars. No entanto, o Campus Reform obteve capturas de tela antes das mudanças.

Entre os contatos para o retiro que aparecem na página de eventos da Tufs University, estão o capelão protestante da universidade, Daniel Bell , e o capelão católico da universidade, Lynn Cooper.

O porta-voz da National Association of Scholars, Chance Layton, disse ao  Campus Reform  que o evento é “desnecessário”. “Um recuo sobre a ‘supremacia branca’ é desnecessário. Um recuo sobre o racismo e os problemas que enfrentamos em nossas vidas pessoais”, disse Layton.

“Claro, eu não posso falar sobre as jornadas que alguns alunos fazem, mas aposto que eles não são ‘supremacistas brancos’ se eles estão participando deste retiro. A religião, especialmente o cristianismo, tem muito a oferecer na busca intelectual. Ajuda-nos a encontrar a humildade para nos envolvermos com os outros de forma respeitosa (não sabemos tudo!)”, continuou.

Layton também disse que, embora o cristianismo nos Estados Unidos deva reconhecer seu passado, eles podem fazer isso sem a “Teoria Crítica da Raça”.

“Acredito que o cristianismo americano tem um lugar para reconhecer seu passado, distanciar-se da teologia que defendia a escravidão e a segregação como um direito natural e ter um assento à mesa hoje. Pode fazer isso sem se envolver no culto da Teoria Crítica da Raça”, disse Layton.

Você pode gostar
Será que o público entende quando você prega?
Adquira o curso que é focado em desenvolver e destravar a Oratória de futuros Líderes Cristãos.
SAIBA MAIS! »

Termine o ano memorizando a Bíblia!
Memorize os livros da Bíblia e suas passagens de um jeito super dinâmico. Fortaleça sua fé para comunicar a Palavra de Deus do jeito fácil!
SAIBA MAIS! »

Se capacite em administrar melhor suas finanças!
Veja como você pode ser mais próspero financeiramente à luz da Palavra de Deus.
SAIBA MAIS! »

Trending