Siga-nos!

mundo

Trump foi amaldiçoado por ajudar Israel?

Questão tem sido levantada enquanto Trump luta por recontagem.

Michael Caceres

em

Trump com a Bíblia na mão
Trump com a Bíblia na mão (Foto: Patrick Semansky/AP Photo)

Durante o período de seu mandato, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, demonstrou sua preocupação com os judeus, algo que agradou aos eleitores evangélicos, inclusive reconhecendo a soberania de Israel sob Jerusalém e permitindo que os americanos nascidos na Terra Santa pudessem colocar o Estado em seus passaportes.

Um dos maiores feitos de Trump foi a intermediação de vários acordos de paz entre Israel e países árabes, os chamados “Acordos de Abraão”. Mas mesmo com a afirmação bíblica de Gênesis 12:3, onde Deus promete abençoar aquele que abençoar Israel ou amaldiçoar aqueles que amaldiçoarem o povo judeu,  alguns questionam a situação de Trump.

A mídia anunciou que o 46º presidente dos Estados Unidos seria o democrata Joe Biden. Mesmo com a mídia coroando seu adversário como vencedor, Trump não desistiu e recorreu a vários tribunais afirmando ter provas e testemunhas de fraude eleitoral, mas até agora sem sucesso.

Além disso, profetas saíram a público afirmando que tiveram a visão da vitória de Trump e até agora não acreditam na derrota do republicano. As previsões vindas de Deus estavam erradas? Eles afirmaram ter ouvido do próprio Deus que Trump seria reeleito, e agora?

Maldição

O 29º presidente da América, Warren G. Harding, foi o melhor nos estudos de conhecimento sobre Jerusalém. Em setembro de 1921 ele assinou a Resolução Lodge-Fish para endossar a Declaração de Balfour de 1917 em apoio a um lar nacional judeu na Terra de Israel.

Harding enviou saudações de Rosh Hashanah (festa de ano novo judaico) para o povo judeu e escreveu que garantiria definitivamente o reestabelecimento da nacionalidade judaica em sua pátria. Menos de um ano depois, em 2 de agosto de 1923, ele faleceu.

Abraham Lincoln, o 16º presidente dos Estados Unidos, lutou antes de Harding contra o antissemitismo, e reverteu a ordem do general Ulysses S. Grant, em 1862, que expulsava todos os judeus de uma ampla faixa do sul. Ele foi assassinado em 14 de abril de 1865.

Os planos de Deus

O pastor Trey Graham, líder da Primeira igreja Batista Melissa, do norte do Texas, disse que os cristãos precisam acreditar que Deus tem um plano para América e talvez “um presidente terrível” pode ser o plano dEle.

Ele citou o versículo de Daniel que fala que Deus é maior do que qualquer raça política: E ele muda os tempos e as estações; ele remove os reis e estabelece os reis; ele dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos entendidos” (Daniel 2:21).

A questão envolvendo Trump, ao que tudo indica, vai muito além de uma avaliação sobre bênção ou maldição, já que por diversas vezes o líder americano decretou honras a Deus. Líderes americanos acreditam que a questão diz respeito ao futuro e aos planos divinos.

Você pode gostar
Será que o público entende quando você prega?
Adquira o curso que é focado em desenvolver e destravar a Oratória de futuros Líderes Cristãos.
SAIBA MAIS! »

Termine o ano memorizando a Bíblia!
Memorize os livros da Bíblia e suas passagens de um jeito super dinâmico. Fortaleça sua fé para comunicar a Palavra de Deus do jeito fácil!
SAIBA MAIS! »

Se capacite em administrar melhor suas finanças!
Veja como você pode ser mais próspero financeiramente à luz da Palavra de Deus.
SAIBA MAIS! »

Trending