Siga-nos!

Sociedade

Trump aperta o cerco e clínica de aborto perde verbas federais

Planned Parenthood pode fechar algumas unidades pela falta de verba.

em

Planned Parenthood. (Foto: Jonathan Weiss / Shutterstock.com)

O governo de Donald Trump estabeleceu novas regras para que as clínicas que recebem dinheiro do Título X não façam referências ao aborto ou indique este procedimento aos pacientes, caso contrário perderiam o financiamento de US$ 286 milhões que é direcionado a vários grupos em todo o Estados Unidos.

Por conta disso, a clínica de aborto Planned Parenthood saiu do programa e perderá os recursos, chamando as regras de “regras da mordaça”.

“Hoje o governo Trump está nos forçando a sair do programa Título X, programa de nosso país focado no planejamento familiar do qual atendemos 40% dos pacientes. Este é um ataque direto à Planned Parenthood e à nossa saúde e direito e nós vamos defendê-lo”, diz um tuíte da clínica.

Entende-se como cuidados de planejamento familiar os serviços que envolvem testes de DST, exames de câncer, consultas de controle e testes de nascimento.

Em resposta à crítica da clínica de aborto, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA (HHS) negou que se trate de “mordaça” e citou o regulamento de 1988.

“O encaminhamento para o aborto como método de planejamento familiar não é permitido, porque o estatuto escrito pelo Congresso proíbe programas de financiamento onde o aborto é um método de planejamento familiar”.

Segundo reportagem do jornal Time, as clínicas tinham até segunda-feira para enviar cartas de cumprimento ao HHS.

A Planned Parenthood disse que não permaneceria no programa a menos que o Tribunal de Apelações do Nono Circuito dos Estados Unidos intervenha para anular o que chamou de política “antiética”, mas a corte não o fez antes de 19 de agosto.

A empresa atende cerca de 4 milhões de pessoas no programa de “planejamento familiar” e para continuar atendendo, a clínica se baseará em fundos emergenciais.

Ainda assim, segundo a empresa, em alguns estados as clínicas correrão o risco de serem fechadas.

Publicidade