Siga-nos!

Sociedade

“Ser gay é presente de Deus”, diz presidente da Apple

Pastor rebate: “Deus os fez macho e fêmea”

em

Tim Cook

Tim Cook, presidente-executivo da Apple, deu uma entrevista esta semana onde afirmou que o melhor presente que Deus lhe deu foi ser gay. “Tenho muito orgulho disso”, disse ele à jornalista Christiane Amanpour, da CNN. Ele já havia usado a mesma frase em 2014, quando decidiu revelar ao mundo sua orientação sexual.

Ele explica que fez isso para “dar um exemplo” para as crianças. “Tornei público porque comecei a receber histórias de crianças que liam na internet que eu era gay”, conta. Chegavam até ele e-mails de crianças que sofriam bullying e outros tipos de abuso devido à orientação sexual.

O executivo disse que “Precisava fazer algo por elas” e seria “egoísta” de sua parte manter em silêncio sobre o tema quando poderia ajudar outras pessoas com sua postura

Cook não é o único grande executivo da tecnologia a se assumir homossexual. Peter Thiel, cofundador e presidente do PayPal, Peter Arvai, do Prezi, Joel Simkhai, do aplicativo Grindr, Jon Hall, veterano da computação do sistema Linux, e Chris Hughes, um dos cofundadores do Facebook, já manifestaram suas orientações homoafetivas publicamente.

Pastor rebate

Shane Idleman, pastor da Westside Christian Fellowship, na Califórnia, rebateu argumento de Tim Cook em um artigo para a revista evangélica Charisma.

“Eu aprecio muito o desejo de Tim em ajudar os outros, mas a Bíblia é muito clara sobre o pecado sexual, incluindo a homossexualidade. Infelizmente, aqueles de nós que tem visões opostas são frequentemente categorizados como odiosos, preconceituosos e intolerantes. Nós devemos falar a verdade em amor. As opiniões mudam, mas a verdade não muda”, escreveu.

O pastor diz que os cristãos precisam ter “compaixão pelos que estão presos no pecado sexual”. Mas isso não exclui continuar falando o que a Bíblia diz sobre o assunto, pois essa é a vontade de Deus para aqueles que criou.

Mencionando uma série de versículos bíblicos, tanto do Antigo quanto do Novo Testamento, Idleman deixou claro que a Igreja está “perdendo sua voz” no debate público. “Pessoas, grupos, denominações e movimentos estão se afastando da verdade absoluta e, com isso, entristecem o Espírito de Deus. Eles tornam a Palavra de Deus, relativa, impotente e discutível”, avalia.

Lamentando que a postura de Cook seja apontada como “exemplo’, o líder evangélico pediu que os pastores refletissem se estão, de fato, deixando claro para o mundo o que os seguidores de Cristo creem.

Para ele, também não é possível dizer que a homoafetividade é um presente de Deus, uma vez que Jesus deixa bem claro que “Desde o princípio da criação, Deus os fez macho e fêmea… E serão os dois uma só carne… que Deus ajuntou não o separe o homem”.  (Marcos 10:6-9).

Publicidade