Siga-nos!

Internacional

“Sem respeito a Deus”: igrejas chilenas são saqueadas e incendiadas em onda de violência

Bispos manifestam preocupação

em

Vândalos destroem igrejas no Chile. (Foto: AP Photo/Esteban Felix)

Bispos católicos do Chile estão denunciando uma série de saques e incêndios criminosos em suas igrejas em várias partes do país.

Os ataques foram descritos pelos religiosos como “sem nenhum respeito a Deus ou àqueles que acreditam nele” e revelam o caráter violento de quem lidera essas ações.

As manifestações pacíficas contra o governo no Chile começaram no mês passado, provocadas pelo aumento das tarifas do metrô, com estudantes pulando catracas em protesto.

Mas grupos violentos se valeram da situação para cometer atos de vandalismo e crimes. Mascarados, eles jogam pedras em prédios públicos, incendeiam espaços e realizam saques, como expôs a revista Time.

Desde outubro, pelo menos 20 pessoas morreram, e a Cruz Vermelha Chilena estima que quase 2.500 foram feridos pela violência.

Na semana passada, um fotógrafo da Associated Press testemunhou pessoas arrastando bancos, estátuas de Jesus e outras iconografias religiosas da igreja de La Asuncion para a rua e incendiando-as em uma barricada flamejante usada para impedir que a polícia se aproximasse. Houve confronto.

Vândalo destrói imagem católica. (Foto: AP Photo/Esteban Felix)

Os relatórios da Agência de Notícias Católica (CNA), na cidade de Talca, a cerca de 150 quilômetros ao sul de Santiago, dizem que o santuário Maria Auxiliadora foi invadido por manifestantes que destruíram imagens religiosas e as levaram às ruas junto com bancos da igreja para atear fogo.

Em Viña del Mar, a nordeste de Valparaíso, uma multidão atacou a paróquia de lá, retirando estátuas de seus recintos de vidro e destruindo-as. Eles também destruíram alguns vitrais, picharam grafite e tentaram entrar na igreja. Igrejas em Valparaíso e Punta Arenas também foram atacadas, segundo a CNA.

“Os manifestantes violentos apenas nos impedem de olhar com a devida atenção para as justas reivindicações da maioria do povo chileno que anseia por soluções reais e pacíficas … o povo não está apenas cansado da injustiça, mas também da violência, e a grande maioria espera um diálogo com respeito à reconstrução do tecido social”, disseram os bispos em uma carta.

Os líderes espirituais do país estão pedindo um diálogo pacífico para resolver os problemas do Chile, ainda de acordo com a CNA. O bispo Galo Fernández Villaseca, bispo auxiliar de Santiago, disse estar preocupado com a “atitude de discórdia” que atravessa seu país e teme o que pode acontecer se o problema não for enfrentado.

“Dói-me que a alma do Chile esteja ferida, seja incapaz de dialogar, que a alma do Chile reivindicando coisas legítimas que compartilhamos em grande parte esteja caminhando por um caminho contraproducente”, disse o bispo Fernández.

Publicidade