Siga-nos!

Política

“Se não fosse o cristianismo, não haveria libertação de escravos”, diz trineto da Princesa Isabel

Manifestantes do movimento negro vaiaram Dom Luiz Philippe quando ele citou o cristianismo.

Avatar

em

Luiz Philippe de Orleans e Bragança. (Foto: Reprodução / Youtube)

O deputado federal Dom Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP) foi vaiado durante a sessão solene em homenagem à abolição da escravatura no Brasil por citar que a libertação dos escravos foi graças ao cristianismo.

O trineto da Princesa Isabel fez um apanhado de dados históricos sobre o fim da escravidão, desde a Grécia antiga, declarando que a escravidão “é parte da natureza humana”, mas que em contexto de paz, regras e com uma constituição surge a consciência e a indignação contra as desigualdades.

Enquanto ele falava na tribuna da Câmara dos Deputados, um grupo de manifestantes do movimento negro, liderados por deputados de esquerda como Erika Kokay (PT-DF) e Talíria Petrone (PSOL-RJ).

Quando Dom Luiz cita o cristianismo, o grupo lança vaias contra ele. “Se não fosse o cristianismo, não haveria libertação de escravos na Europa. Os valores cristãos criaram sim o fim da escravatura nas tribos europeias, deram o norte moral para as famílias fundadoras, encabeçando os seus territórios e nos seus territórios eles declararam o fim da escravatura”, disse.

Enquanto apoiadores da monarquia aplaudiam, o grupo de manifestantes seguiam vaiando o deputado federal que é autor do pedido de homenagem aos 131 anos da assinatura da Lei Áurea, completados na última segunda-feira (13).

Dom Philippe continuou seu pronunciamento listando dois fatores importantes para garantir o fim da escravidão: a criação do Estado e o norte moral dado pelo cristianismo. Ele também citou que a Igreja Católica foi importante para defender o fim da escravatura nos países fora da Europa.

Publicidade