Siga-nos!

Tecnologia

Satélite israelense Amos-17 é lançado com sucesso ao espaço

O novo satélite fornecerá serviços de internet, TV e celular para a África

em

Amos-17. (Foto: Reprodução)
CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O lançamento do satélite israelense Amos-17 aconteceu na noite da última terça-feira (6), através da Space X, empresa estadunidense de sistemas aeroespaciais e de serviços de transporte espacial por meio do foguete Falcon 9.

Depois de ser adiado por vários dias, o lançamento aconteceu sem problemas e foi bem-sucedido, se tornando um alívio para a Space X e a Spacecom de Israel, pois o último empreendimento em conjunto, o satélite Amos 6, explodiu antes do lançamento, há três anos.

O novo satélite Amos-17 deve começar a operar em dois meses, fornecendo serviços de internet, TV e celular para a África. Os serviços estão previstos para as próximas duas décadas. A Spacecom Communication Company projetou o Amos-17 e a Boeing a construiu.

Pensando consideráveis 6,5 toneladas e tem 35 metros de comprimento com seus painéis solares instalados. A estimativa é que o projeto tenha custado 192 milhões de dólares e que custará 5 milhões de dólares por ano.

O lançamento a bordo da Falcon 9 da Space X custaria 62 milhões de dólares, mas a Spacecom concedeu de forma gratuita por conta da perda do satélite anterior.

Atualmente, a Spacecom opera três satélites. Amos-3 e Amos-4 são de propriedade da empresa, e Amos-7 foi alugado de outra empresa por quatro anos após o fracasso no lançamento de Amos-6.

Mesmo com uma economia pequena, Israel avançou tremendamente no campo da tecnologia aeroespacial e é considerada líder da indústria.

O primeiro satélite israelense, Ofek-1, foi lançado em 1988 e desde então o país tem projetado, construído e lançado vários outros projetos espaciais, tanto para propósitos militares, quanto civis.

O mais recente projeto espacial significativo estabelecido em Israel foi a espaçonave Beresheet construída pela organização aeroespacial israelense SpaceIL.

A espaçonave foi financiada principalmente por fundos privados e foi a primeira nave espacial financiada desta forma a alcançar a Lua. Um mau funcionamento da comunicação ocorreu pouco antes de aterrissar, levando a nave a colidir na Lua.

Ao comentar o sucesso do lançamento do Amos-17, o presidente israelense Reuven Rivlin se mostrou orgulhoso e agradeceu à Space X e à Spacecom por seu “importante trabalho para o Estado de Israel”.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE