Siga-nos!

Mundo Cristão

Satanista incendeia 3 igrejas batistas centenárias; pastores dizem que o perdoam

“Não podemos guardar rancor. A Bíblia nos ensina a perdoar”, afirmou pastor.

em

Greater Union Baptist Church. (Foto: CNN)

Incêndios criminosos em “igrejas de negros” eram comuns nos tempos das leis de segregação racial nos Estados Unidos, em vigor até 1965.

Mas quando três igrejas batistas foram queimadas este ano, entre 26 de março e 2 de abril, em Opelousas, estado de Louisiana, o crime de ódio passou a ser visto de outra maneira. O incendiário foi identificado como Holden Matthews e o FBI alega que sua motivação seria racismo.

Contudo, o jovem de 21 anos é vocalista da banda de heavy metal “Pagan Carnage” [Massacre Pagão]. Em um dos vídeos do grupo disponível no Youtube, ele canta a música “Diabolical Soul Feast” [Festa da Alma Diabólica], onde defende que igrejas sejam queimadas.

Há postagens dele nas redes sociais com alusões ao satanismo e acusando os fiéis batistas de serem vítimas de “lavagem cerebral”. “Não suporto todos esses batistas por aqui, um bando de pessoas que sofreram lavagem cerebral tentando encontrar a felicidade em uma religião que foi forçada sobre seus antepassados”, declarou.

Durante o culto deste domingo (14), o governador da Luisiana John Bel Edwards, juntamente com um pastor local, disse que os fiéis das igrejas afetadas deveriam perdoar Matthews e orar por ele.

A celebração realizada na Igreja Batista Little Zion em Opelousas, reuniu as famílias das três igrejas queimadas por Matthews: St. Mary, Greater Union e Mount Pleasant. Na ocasião o governador disse que ficou comovido com todo o dinheiro arrecadado para ajudar a reconstruir as igrejas. O custo estimado é de US $ 1,8 milhão.

Tanto Edwards quanto o pastor Calvin Moore, da Little Zion, concordaram que seria melhor os congregantes responderem a Matthews com perdão.

“Nós temos que perdoar. Não podemos guardar rancor. A Bíblia nos ensina a perdoar. Agora precisamos nos unir”, pediu Moore.

Harry Richard, pastor da Igreja Greater Union declarou: “O corpo de Cristo ainda está vivo e bem, e esta é uma demonstração poderosa de como o povo de Deus pode se unir e tornar o fardo da tragédia bom e nós apreciamos isso.”

No horário dos incêndios, os templos – todos construídas há mais de 100 anos – estavam vazios, e não houve vítimas. O estado de Louisiana é o segundo com maior população negra nos EUA – 37,3% dos habitantes locais têm origem afro-americana, de acordo com censo de 2010.

Os investigadores chegaram a Matthews acusado com a ajuda de câmeras de segurança de casas e comércios próximos às igrejas queimadas, além do rastreamento de seu telefone celular.

Publicidade