Siga-nos!

Política

Rodrigo Maia diz que governo não tem “agenda” e que país caminha para colapso

Presidente da Câmara diz que tem “relação de diálogo” com o governo, “de construção de uma pauta que tire o Brasil do caminho que está indo”.

em

Rodrigo Maia
Rodrigo Maia. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Em entrevista ao O Globo, Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, atacou o Executivo, afirmando que o governo Bolsonaro não tem uma agenda formulada e o país está caminhando para o “colapso social”. Maia tem sido alvo de manifestações sociais por atrapalhar o andamento dos projetos apresentados pelo Planalto, além de ser acusado de conspiração ao lado de partidos de centro.

Na entrevista, o parlamentar criticou o ministro da Educação, afirmando que “ele não é ator, é ministro” e que deveria se comportar melhor. A entrevista foi concedida na noite deste domingo (2), na residência oficial do presidente da Câmara. Com as críticas, o deputado desrespeita o pacto de governabilidade entre os poderes.

As palavras do deputado foram rebatidas pelo líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), e pela líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (SP). Eles afirmaram que a gestão de Jair Bolsonaro tem sim uma agenda para o país, que a reforma da Previdência é apenas a primeira ação.

“Discordo. Tem uma agenda. Existe uma linha. Temos um programa de governo. A agenda do governo é a reforma da Previdência, tributária, pacto federativo. Cada ministério tem sua própria pauta também”, disse Waldir.

A deputada Joice Hasselmann afirmou que o governo tem uma agenda ampla para o país, mas que primeiro é preciso aprovar a agenda econômica, que inclui as reformas necessárias para retomada do crescimento. Ela enfatizou que a agenda não acaba na reforma da Previdência, mas começa por ela.

“O governo tem uma agenda ampla para o país. Acontece que tudo tem um começo, meio e fim. O começo é essa agenda econômica que envolve as grandes reformas para o Brasil, incluindo a principal delas, que é a reforma da Previdência. Então, a agenda do governo não acaba na reforma da Previdência. Na verdade, começa. E aí, a gente tem mais de três anos e meio pela frente. Começamos agora. É preciso dar um tempinho”, afirmou Joice.

Recentemente, Maia participou da convenção nacional do PSDB, quando declarou sobre o desejo de que PSDB e DEM estejam “fortes em um projeto único de geração de emprego e renda” para as próximas eleições presidenciais. A declaração, no entanto, não foi bem recebida pela sociedade, que considera os partidos como parte do problema enfrentado por Bolsonaro.

Publicidade