Siga-nos!

Política

PT se aproxima de pastores para neutralizar Malafaia

A questão religiosa continua no centro do debate nas eleições.

em

A questão religiosa continua no centro do debate nas eleições à prefeitura da maior cidade do Brasil. Enquanto José Serra, do PSDB, acumulava apoios de pastores e padres, Fernando Haddad, do PT, criticava a mistura de política e religião.

Mas na reta final do segundo turno, o PT decidiu articular um ato com pastores evangélicos para defender seu candidato das críticas de líderes de igrejas que apoiam seu adversário.

Aparentemente, o principal objetivo é diminuir o impacto dos ataques feitos pelo pastor Silas Malafaia, que associa a imagem de Haddad ao “kit gay” do Ministério da Educação.

Além disso, a coordenação da campanha pretende divulgar um manifesto assinado por religiosos mostrando que o petista não persegue evangélicos e, caso seja eleito, respeitará a liberdade religiosa na cidade.

Segundo o pastor Eraldo Silva, o foco é não deixar que os fiéis sejam influenciados pelos ataques de Malafaia a Haddad. “O discurso dele é para boi dormir. O Lula e a Dilma já mostraram que o PT não persegue igreja”, esclarece.

Malafaia tem apoiado Serra e prometeu “arrebentar em cima do Haddad”. Ele divulgou um vídeo de um encontro dos ativistas gays dizendo no Congresso Nacional que pegariam em armas contra os religiosos e associou ao governo do PT. “Haddad pode até ganhar, mas não com os votos dos evangélicos”, declarou duas semanas atrás.

Nos últimos dias o comitê petista procurou pastores que no primeiro turno apoiaram Celso Russomanno (PRB) e Gabriel Chalita (PMDB). Os encontros foram discretos, na sede municipal do PT e em gabinetes de vereadores da sigla.

Curiosamente, Haddad no primeiro turno criticou a “instrumentalização” de igrejas nas campanhas dos rivais e afirmou que não buscaria o apoio formal de nenhuma denominação.

O principal desejo é atrair o pastor Marcos Galdino, líder da Assembleia de Deus Ministério Santo Amaro. Ele foi um dos principais defensores da candidatura de Russomanno, chegando a pedir votos para o candidato durante um culto, algo proibido pela legislação eleitoral. Ontem, o pastor Renato Galdino, filho de Marcos, declarou que a igreja estava “neutra”, mas pode anunciar apoio a um candidato em breve.

O PT espera anunciar em breve o apoio do bispo Robson Rodovalho, da igreja Sara Nossa Terra, e da igreja Assembleia de Deus Nipo-Brasileira.

Um dos elementos que facilita essa aproximação é a clara insatisfação de pastores de igrejas da periferia com o atual prefeito Gilberto Kassab (PSD). O motivo seriam as operações para reprimir a poluição sonora que ocorrem durante os cultos. Os petistas se comprometem a “dialogar” sobre o assunto quando Haddad for prefeito.

Com informações BOL

Publicidade