Siga-nos!

Sociedade

Projeto de lei deve instituir o ensino do Holocausto nas escolas de SP

A ideia é mostrar que não só os judeus como outras minorias sofreram com o Holocausto

Publicado

em

Publicidade

O ensino do Holocausto nas escolas públicas pode ser obrigatório se depender da Frente Parlamentar Evangélica da Assembleia Legislativa de São Paulo. Os deputados vão entrar com um projeto de lei para incluir essa parte da história mundial no currículo escolar.

A Secretaria de Educação diz que as aulas de história já abordam o assunto, mas a proposta dos parlamentares é mostrar que o Holocausto não atingiu apenas os judeus, como explica o deputado Carlos Cezar (PSB). “Queremos desmistificar que o Holocausto só matou judeus. A Frente tem interesse em proteger a vida. O assunto deveria ter um peso similar ao do ensino da Guerra dos Cem Anos”, disse.

O texto que deve ser protocolado quando os deputados voltarem do recesso inclui os homossexuais e outras minorias que sofreram com o que eles classificam como “eclosão de uma profunda incivilidade” como os comunistas, os ciganos e os testemunhas de Jeová.

O jornal Folha de São Paulo ouviu o rabino Ruben Sternchein, da Congregação Israelita Paulista, para saber o que ele pensa sobre essa proposta. “A iniciativa é corajosa, independentemente de posições políticas e religiosas. Além de ser um capítulo importante e obrigatório da história contemporânea, o Holocausto é um tema que fala do respeito à vida, da pluralidade e do imperativo de agir em prol de outros”, disse ele.

Publicidade