Siga-nos!

mundo

Projeto de lei aponta Partido Comunista da China como “organização criminosa”

Deputado americano criticou duramente o comunismo por ameaçar a liberdade.

Michael Caceres

em

Campos escondidos na China. (Reprodução / BBC)

Um projeto de lei apresentado pelo deputado Scott Perry, dos Estados Unidos, classifica o Partido Comunista Chinês (PCCh) como “organização criminosa transnacional” que representa uma “ameaça existencial às liberdades internacionais e liberdades americanas”.

O deputado apresentou o projeto afirmando que  o objetivo é “proteger os americanos da atividade criminosa chinesa”, que apontou como sendo “demoníaco”. Na prática, o projeto eliminaria a imunidade soberana para diplomatas chineses nos EUA envolvidos em atividades criminosas.

Para o deputado, os crimes incluem “roubo coordenado e dirigido pelo governo de propriedade intelectual americana, ataques cibernéticos aos sistemas dos EUA, espionagem e tráfico internacional de fentanil”, que justificariam as restrições contra o país asiático.

Um comunicado à imprensa informou que a nova legislação “dicionará o Partido Comunista Chinês (PCC) ao Top Criminal Internacional Organizations Target (TICOT) Listar e fornecer às agências de aplicação da lei dos Estados Unidos uma diretriz estratégica para direcionar a atividade maligna do PCC”.

Segundo o Christian Post, o texto foi elogiado por Dede Laugesen, diretor executivo da Save The Persecuted Christians, que é uma organização sem fins lucrativos que tem o propósito de salvar vidas. Ele ajudou a formular o projeto e afirmou que a organização ajudará a salvar os cristãos perseguidos.

“Sou muito grato por essa legislação que poderá salvar os cristãos perseguidos”, disse Laugesen. “É o primeiro passo para corrigir as injustiças e tornar o mundo um lugar mais seguro para todas as populações em risco, que parecia estar se multiplicando exponencialmente à medida que a influência maligna da China continuava sem controle – mas não mais.”

Scott Perry fez duras críticas contra o PCCh, além de criticar duramente o comunismo, afirmando que o mundo já testemunhou “a liberdade ameaçada pelo mal” através da União Soviética e que está testemunhando isso novamente com o comunismo chinês.

“O PCCh é uma falha moral abjeta”, disse Perry ao apresentar o projeto. “Você sabe disso. É decrépito, é demoníaco, é uma instituição que subjuga e escraviza as pessoas sobre as quais tem domínio. Nos últimos cem anos, nosso mundo viu o surgimento do comunismo na União Soviética e testemunhamos a liberdade ameaçada pelo mal. E estamos testemunhando isso agora mesmo. Assim como estamos aqui, está acontecendo agora mesmo. Mas não pode durar”.

Trending