Siga-nos!

igreja perseguida

Professora pede demissão em protesto contra agenda política nas escolas

Professora renunciou diante do conselho escolar por conta das ideologias na escola.

em

Laura Morris
Laura Morris (Foto: Reprodução/Print Screen)

Uma professora cristã renunciou seu cargo em uma escola pública diante do conselho escolar para protestar contra a adoção do que ela chama de “agendas altamente politizadas” que contradizem suas crenças, nos Estados Unidos.

A renúncia levou expressa a preocupação de pais, membros da comunidade e professores sobre o que acreditam ser a implementação de elementos da teoria racial crítica e outras ideologias no currículo escolar. Eles também expressaram preocupações sobre uma política de afirmação trans que exige que os professores usem os nomes e pronomes preferidos dos alunos.

A professora Laura Morris abordou suas preocupações antes de anunciar sua demissão, agradecendo pela  oportunidade de seguir seus alunos do ano passado para a quinta série, reconhecendo também as dificuldades.

“Lutei com a ideia de voltar à escola sabendo que trabalharei mais uma vez com uma divisão escolar que, apesar de sua tecnologia brilhante e salário chamativo, promove ideologias políticas que não se acertam com quem eu acredito em Cristo”, disse.

A professora alegou que em um de seus “treinamentos de equidade” de que teria sido informada de que “mulheres brancas, cristãs e capazes atualmente têm o poder em nossas escolas e que ‘isso tem que mudar'”.

“Claramente, você colocou ponto. Você não valoriza mais a mim ou a muitos outros professores que empregou neste município. Uma vez que meu contrato descreve o poder que você tem sobre o meu emprego nas escolas públicas do condado de Loudoun, eu achei necessário renunciar em sua frente. Conselho escolar, eu me demito. Larguei suas políticas, larguei seus treinamentos e deixei de ser uma engrenagem em uma máquina que me diz para empurrar agendas altamente politizadas sobre nossos eleitores mais vulneráveis: as crianças”, declarou Morris, se emocionando.

Percebendo que o conselho escolar fechou as portas para o público, que se reuniu para compartilhar a oposição às políticas propostas, Morris lamentou a falta de consideração do distrito escolar pela crescente população de cidadãos preocupados. Ela fala que tem a impressão de que uma opinião dissidente não é permitida  em assuntos controversos.

Morris não é a única professora do Condado de Loudoun a apontar a religiosa como fonte de preocupação com as políticas propostas. Em uma reunião do conselho, o professor de educação física Tanner Cross proclamou sua oposição a uma política proposta exigindo que os professores se dirigissem aos alunos por seus pronomes preferidos, independentemente de seu sexo biológico.

“Sou professor, mas sirvo a Deus primeiro. Eu amo todos os meus alunos, mas nunca vou mentir para eles, independentemente das consequências. Eu não vou afirmar que um menino biológico pode ser uma menina e vice-versa porque é contra a minha religião”, disse Cross segundo Christian Post.

Você pode gostar
Será que o público entende quando você prega?
Adquira o curso que é focado em desenvolver e destravar a Oratória de futuros Líderes Cristãos.
SAIBA MAIS! »

Termine o ano memorizando a Bíblia!
Memorize os livros da Bíblia e suas passagens de um jeito super dinâmico. Fortaleça sua fé para comunicar a Palavra de Deus do jeito fácil!
SAIBA MAIS! »

Se capacite em administrar melhor suas finanças!
Veja como você pode ser mais próspero financeiramente à luz da Palavra de Deus.
SAIBA MAIS! »

Trending