Siga-nos!

Mundo Cristão

Professor brasileiro desenvolve projetos sociais na África

Escola de Alfabetização de Mulheres já atendeu 73 pessoas, o núcleo de reforço escolar para crianças alcança 1.200 crianças aproximadamente

Avatar

em

Alfabetização de Mulheres em Angola
Alfabetização de Mulheres em Angola. (Foto: Divulgação)
Publicidade

O professor Ismael dos Santos deixou sua vida no Rio Grande do Sul para realizar uma grande obra social e missionária na África atendendo pessoas necessitadas de ajuda e de ouvir as Boas Novas.

Antes de ir para o continente africano, Ismael viveu um tempo na Suíça e lá teve contato com missões transculturais. Ir para o Senegal foi um desejo que surgiu em seu coração após conhecer a base missionária que presidia o Pr. Otávio Marques, pastor da Assembleia de Deus (RS).

Leia mais...

Continua depois da Publicidade

Sua esposa, Michele, também passou a ter o mesmo desejo e então eles resolveram sair para encontrar locais onde seriam úteis para a Obra de Deus. “Queria realmente ser útil na obra de Deus, em lugares sedentos. No sentido de fazer, o que ninguém estava fazendo em lugares inalcançados pelo evangelho e a solidariedade”, revelou o professor.

Há dois anos e meio com ações na África, o casal criou diversos projetos importantes, entre eles a Escola de Alfabetização de Mulheres inaugurada em Angola. “A Escola de Alfabetização de Mulheres, surgiu quando percebemos que quando as mães precisavam preencher algum formulário de cadastro dos filhos no Núcleo de Reforço Escolar, elas não sabiam escrever”, conta o missionário.

Além disso, eles criaram também um Núcleo de Reforço Escolar para Crianças e ainda entregam doações de materiais escolares e de alimentos para a comunidade. Além da Angola, os projetos se estendem também para Botswana e Namíbia

Entre as vidas transformadas por essas frentes de trabalho, Ismael destaca a história de Gina, uma mulher que sonhava em ler a Bíblia, que tinha medo de “morrer burra” por não ser alfabetizada.

Continua depois da Publicidade

“Ela era humilhada por não saber ler e escrever. Mas, apesar disso, ela orava para ter uma escola acessível para ela”, relata. Quando o professor apresentou a proposta da escola para mulheres, a irmã Gina viu suas orações sendo respondidas. “oi uma das alunas mais aplicadas no estudo. E, logo se esforço para aprender a ler um versículo. E esse versículo que ela aprendeu a ler, foi o que ela leu a primeira vez na igreja depois de 54 anos de idade”, comenta o professor.

Para manter todas as frentes de trabalho, o professor Ismael conta com o apoio e a doações de diversas igrejas, mas mais variadas denominações, que enviam ofertas voluntárias esporadicamente. Graças a estas doações, a Escola de Alfabetização de Mulheres atende hoje 73 mulheres, o Núcleo de Reforço Escolar para Crianças atende 1.200 crianças e as doações de alimentos e roupas atende a cerca de 120 famílias todos os meses.

Publicidade
Publicidade