Siga-nos!

Opinião

Por que crente acredita tanto em boatos?

Por que esses boatos aparecem no meio das igrejas, a ponto de alguns serem tidos como verdades incontestes?

Leandro Bueno

em

Recentemente, estava conversando com um irmão de uma igreja e perguntei para ele, o que ele achava do atual momento político que vivemos. Ele disse que acha muito ruim o governo Dilma, mas o fim mesmo, seria se o Michel Temer virasse presidente, porque ele seria satanista.

Aquela resposta me deixou impressionado e altamente surpreso e me fez pensar e recordar como no meio evangélico muitas vezes aparecem determinados boatos, a maioria das vezes sem provas concretas nenhuma, e que pessoas tomam como verdades absolutas.

  • Passo a passo para realizar o sonho de tocar teclado em até 30 dias

  • Recordo-me, por exemplo, do caso da Xuxa, que o pessoal dizia com convicção impressionante que ela tinha pacto com o diabo.  Em 2012, a Xuxa ganhou R$ 150.000,00 de indenização da Igreja Universal, com direito à retratação, que, em seu jornal Folha Universal, dava como certo tal pacto. Ironicamente, Xuxa viria, tempos depois, a ser empregada da Record. Vai entender.

    No meu tempo de conversão, até o Boneco Fofão, que era coqueluche na época do programa infantil Balão Mágico teria um pacto, de acordo com a boataria que ouvia.

    Eu, mesmo fui vítima disso, quando ao entrar para a igreja, ainda não convertido, adorava usar crucifixos e andar todo de preto (era a época da “modinha dark”) e estava no auge falar do movimento NEW AGE (Nova Era) nas igrejas, como um movimento diabólico que iria tomar conta de tudo.

    Um dos crucifixos que eu usava era um egípcio (a cruz Ankh, que simbolizava a vida), mas que o povo jurava de pé junto que seria um símbolo contra a virgindade. De onde tiraram isso, não sei. E o tema NEW AGE caiu no total esquecimento nas igrejas.

    No caso do Temer, ao que parece, o boato teria nascido com pessoas que teriam ouvido o pastor Daniel Mastral, que dizem, segundo me falaram, que seria filho de Temer e que escreveu livros sobre o assunto de satanismo.

    Por curiosidade, cheguei até a comprar um livro deste pastor para ler (Filho do Fogo), mas fiquei um tanto decepcionado, quando vi que ele não citava nomes e dados precisos, para dar sustentação ao que falava acerca do satanismo, alegando sua segurança pessoal diante de um perigoso grupo satânico que ronda vários locais insuspeitos de nossa sociedade.

    Atente-se que não duvido do que ele falou nos livros e sei que o satanismo é uma realidade ainda pouquíssimo conhecida do grande público, mas sou aquele tipo de pessoa que se você falar algo, a primeira coisa que busco fazer é perguntar: Quando? Quem? Como? E por quê? E a quem interessa aquilo? E nos livros não encontrei respostas para isso.

    Mas, a questão fica em aberto: Por que esses boatos aparecem no meio das igrejas, a ponto de alguns serem tidos como verdades incontestes?

    Pessoalmente, eu não duvido de nada. Pela minha experiência de vida, já vi coisas inacreditáveis acontecerem de toda monta, porém, em casos como estes, eu sempre fico com um pé atrás e penso que é algo a merecer uma breve reflexão, que faço abaixo.

    Creio que alguns religiosos possuem a tendência de jogar projeções pessoais contra determinadas pessoas que não comungam dos mesmos valores, atacando-as.

    A Xuxa, por exemplo, devido a ter uma imagem para muitos, de uma mulher que subiu na vida por motivos um tanto questionáveis e ter durante anos apresentado um programa que só erotizava e mercantilizava a cabeça de uma geração de crianças, seria alguém a ser atacada.

    O interessante é que essa atitude de atacar as pessoas NUNCA foi uma proposta da mensagem do Evangelho. Pelo contrário. Veja, por exemplo, como é dura a palavra de Jesus, ao se referir àqueles que atacam seus irmãos, em Mateus 5:22, verbis: Eu, porém, vos digo que qualquer que se irar contra seu irmão estará sujeito a juízo. Também qualquer que disser a seu Irmão: Racá, será levado ao tribunal. E qualquer que o chamar de idiota estará sujeito ao fogo do inferno.

    Ressalte-se que o termo RACÁ  usado por Jesus significa TOLO. Aparentemente, a Lei Judaica tinha sanções contra este insulto específico, mas Jesus mostra que qualquer abuso verbal sujeita o indivíduo ao pecado, ao erro.

    Outro aspecto que acho importante é que o cristão ele deve ser sempre um SER PENSANTE, RACIONAL, que busque examinar de tudo e reter o que é bom, como nos admoesta Paulo em 1a Tessalonicenses 5:21. Ou seja, ele não deve comprar de pronto tudo que dizem ou deixam de dizer, em uma ingenuidade gritante, como se o mundo se resumisse ao preto no branco.

    Ou seja, o cristão ele deve ter a curiosidade de buscar informações, saber se fatos alegados em conversas são verdadeiras e a partir daí, formar seu conhecimento que, inclusive, pode em muitos casos, destoar por completo da maioria. O problema é que alguns irmãos parecem preferir o comodismo, a resposta pronta, não querendo gastar tempo em pensar e refletir.

    Concluindo, oro para que Deus nos dê o discernimento e compreensão da realidade a mais autêntica possível e que sejamos propagadores destas verdades neste mundo tão-cheio de mentiras e meias-verdades.

    Continue lendo