Siga-nos!

Mundo Cristão

“Alguns políticos e líderes religiosos estão se lixando para o bom testemunho”, afirma pastor Carlito Paes

“Quando isto acontece gera um efeito colateral muito nocivo à igreja”, acrescenta líder da Igreja da Cidade, em São José dos Campos.

em

Carlito Paes. (Foto: Reprodução / Youtube)

Com um perfil de liderança que vem ganhando admiradores em todo o país, o pastor Carlito Paes, da Igreja Batista da Cidade, em São José dos Campos (SP), falou com exclusividade ao Gospel Prime sobre a aversão da sociedade a lideranças políticas e religiosas no país.

“A grande maioria dos políticos evangélicos ainda age na base da velha política, e muitos foram eleitos na visão de serem despachantes de suas denominações, alguns são corruptos, de maneira periódica os vemos em escândalos denunciados pela Justiça e pela imprensa”, critica o pastor.

Sob sua liderança, em 21 anos, a Igreja da Cidade saltou de 620 membros para mais de 17 mil, tornando-se conhecida mundialmente. Hoje conta com 8 campus somente em São José dos Campos e o pastor passou a ter influência em diversos setores da sociedade, inclusive na política.

Carlito Paes diz acreditar que os maus políticos são reflexos dos líderes religiosos e de suas igrejas. Ele afirma que muitos deles estão submissos a uma liderança que insiste em não perceber a mudança no mundo, o que faz necessária uma nova forma de abordagem na igreja, sociedade e na política.

“Creio que eles são um reflexos dos seus líderes religiosos e de suas igrejas, muitos são frutos de uma eclesiologia equivocada e que insiste em não perceber que o mundo mudou e que precisamos de uma outra forma de atuar na igreja, sociedade e consequentemente na política”, avalia.

O pastor também é fundador da Rede Inspire de Igrejas, que reúne cerca de 400 igrejas de várias denominações no Brasil, Europa e Estados Unidos e da Rede de Igrejas da Cidade, que possui 18 igrejas em 18 diferentes cidades de SP, RJ e MG.

Ele acredita que mesmo candidatos indicados pelos líderes, sendo eles maus, deveriam ser rejeitados pela sociedade.

“A única forma que vejo de mudar, como estamos em uma democracia, é no voto, oro e espero que a sociedade rejeite os maus candidatos, mesmo que indicados por líderes religiosos”, disse.

“Somos chamados para pregar o Evangelho e transformar a sociedade pelo poder do Cristo ressurreto, a luz do mundo, e não achar atenção por parte de polêmicas e discursos inflamados”, continuou Carlito.

Na forma enfatiza, o pastor afirma que “para um cristão, não é somente o que fazemos que importa, mas também o como falamos que importa” e completa afirmando que “alguns políticos e líderes religiosos do pais, estão se lixando para o bom testemunho da fé, isto já não importa mais, já não ouvem mais ninguém, e se cercam de pessoas que apenas executam, mas não questionam”.

Ele conclui afirmando que aos poucos a sociedade está reagindo contra esse tipo de comportamento, tornando seus discursos irrelevantes. Em suas palavras, ele afirma que “aos poucos estão se tornando tão relevantes, quanto jornal de ontem”.

Publicidade