Siga-nos!

Política

Polícia investiga grupo terrorista que ameaça Bolsonaro e ministros

Os integrantes do grupo se declaram “ecoterroristas” e “anticristãos”

Avatar

em

Jair Bolsonaro, Damares Alves e ministros. (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

O grupo autointitulado “Sociedade Secreta Silvestre” tem feito ameaças ao presidente Jair Bolsonaro e a ministros, incluindo ataques a bomba contra Damares Alves e Ricardo Salles.

A divisão antiterrorismo da Polícia Federal tem investigado o grupo em busca de seus integrantes que se declaram “ecoterroristas” e “anticristãos”. Eles foram responsáveis pela bomba caseira colocada na porta de uma igreja a 50 quilômetros do Palácio do Planalto.

O grupo também assumiu a autoria dos ataques em uma sede do Ibama em Brasília, onde dois carros foram incendiados e onde a polícia encontrou fragmentos de bomba caseira.

A revista Veja teve acesso aos documentos da investigação contra a tal “Sociedade Secreta Silvestre”, incluindo as ameaças feitas por eles em um site. Para os investigadores, as condutas dos envolvidos são “extremamente graves” por conta do uso de artefatos explosivos.

Publicidade