Siga-nos!

Sociedade

Polícia apura elo de advogados de Adélio Bispo com o PCC

Rumores indicam que a facção criminosa PCC estaria pagando os honorários dos defensores do homem que tentou matar o presidente

em

Adélio Bispo de Oliveira
Adélio Bispo de Oliveira

Quase seis meses após a tentativa de assassinato contra Jair Bolsonaro, as autoridades ainda não conseguiram encontrar quem estaria por trás do atentado cometido por Adélio Bispo.

Mesmo desempregado, Adélio conseguiu se hospedar em uma pensão em Juiz de Fora e horas após o crime teve quatro advogados a seu dispor, incluindo um dos criminalistas mais caros do país: Zanone Manuel de Oliveira.

O primeiro relatório da Polícia Federal descartou que outras pessoas teriam participado do ataque diretamente.

O segundo inquérito tem buscado encontrar quem estaria pagando os cinco advogados que atuam no cargo. A PF apreendeu o celular de Zanone para buscar essa informação e agora aguarda o resultado da perícia.

Segundo a revista Época desta semana, uma nova linha de investigação que tem sido comentada no Palácio do Planalto e no Ministério da Justiça é que há indícios de que o Primeiro Comando da Capital (PCC) estaria financiando os honorários dos advogados de Adélio Bispo.

 

Publicidade