Siga-nos!

Sociedade

Pastor é morto quando evangelizava traficantes no RJ

Marco Aurélio era pastor da Assembleia de Deus

Avatar

Publicado

em

Publicidade


O pastor Marco Aurélio Bezerra de Lima, de 48 anos, liderava a Assembleia de Deus Missão Sem Fronteiras. Ele foi morto enquanto evangelizava traficantes em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro.

Na tarde desta sexta-feira (11), segundo a polícia, o pastor foi baleado por um traficante. Ele deixa esposa e 3 filhos. O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF).

Publicidade

Leia mais...

Jeremias Costa de Lima, 23 anos, filho do pastor conta que Marco Aurélio estava sentado no carro e mostrava fotos dos traficantes que ele conseguiu levar para a igreja.

“Foi quando veio um cara, que parecia alterado, e atirou nele. O tiro pegou no ombro e atravessou o peito. O amigo do meu pai acelerou o carro e o levou até o Corpo de Bombeiros. Em seguida, foram para o Hospital municipal, mas ele já estava morto”, desabafa Jeremias.

Publicidade

Ainda segundo o filho, o pastor estava acostumado a evangelizar em favelas da região.

Até a manhã deste sábado ninguém havia sido preso.

Muleta pode ter sido a causa

Segundo a polícia, uma muleta pode ter causado a morte do pastor Marco Aurélio. A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) acredita que essa é uma das hipóteses mais fortes e ainda procura identificar o autor do disparo.

Publicidade

O pastor David Silva, que conhecia Marco há 15 anos, explica: “Ele tinha sofrido um acidente de moto recentemente e a perna estava operada. Por isso, usava muletas. Esse homem (que atirou) estava do lado de fora do carro. O pastor foi pegar dentro de uma necessaire uma foto do traficante Playboy. Depois foi ajeitar a muleta. O traficante teria se assustado, confundido a muleta com um fuzil e feito o disparo à queima roupa”.

David conta que ele mesmo foi “resgatado” pelo Marco Aurélio. Ele tinha problemas com o álcool. Recuperado, passou a dedicar sua vida para o ministério. “Marco era um pastor muito íntegro que não se vendia nem se corrompia. Não tinha problemas com traficantes porque defendia a bandeira de Jesus”, ressalta. Com informações de Extra e O Dia




Gosta do nosso conteúdo? Considere ajudar nosso ministério! Saiba mais em apoia.se/gospelprime


Publicidade
    Publicidade
    Publicidade

    Trending