Siga-nos!

Mundo Cristão

Pastor do RS comete suicídio após mensagem sobre cansaço

Lisandro Canes também era professor em uma escola na cidade de Rio Grande

em

Lisandro Canes. (Foto: Reprodução / Facebook)

Em 11 de setembro o pastor Lisandro Canes, da Igreja Nova Vida em Rio Grande (RS), compartilhou em seu Facebook uma mensagem do pastor Jackson Jacques sobre o esgotamento trazido pelo ministério pastoral.

Canes concordou com as palavras de seu amigo ao dizer que o ministério é “esgotante e cansativo” e que essa responsabilidade consome suas energias. As palavras sobre a fragilidade dos pastores foi feita diante do anúncio da morte do pastor Jarrid Wilson.

Nesta segunda-feira (23) pela manhã, Canes fez outra publicação no Facebook, dessa vez com o versículo de Salmo 23:23 que diz: “Renova minhas forças e me guia pelos caminhos da justiça; assim, ele honra o seu nome”. Na noite daquele mesmo dia ele se matou.

Além de pastor, Lisandro Canes era professor de um colégio na cidade e a escola comunicou a morte dele, levando os pais e funcionários a falarem sobre o tema nos comentários.

Inclusive, muitas mães relatavam que o professor era muito querido por eles e seus filhos, descrito como um homem alegre, calmo e que cativava as crianças.

Ao saber sobre a morte de seu amigo, o pastor Jackson Jaques voltou a fazer um alerta sobre a importância de fortalecer os pastores, escrevendo um texto destinado aos que ele chama de “valentes”.

“Acabo de receber uma notícia devastadora. Um pastor e amigo meu aqui do Rio Grande do Sul tirou a própria vida no dia de ontem. Preguei em sua Igreja, conversava com ele. Conheci os homens da sua Igreja, vi o comprometimento deles e o amor entre esses irmãos. Escrevo essas linhas em lágrimas e com o coração muito abalado, pois apesar dos frequentes casos de suicídio de pastores, esse é o primeiro que é de gente de perto e amada por mim. Um valente tombou aqui no Rio Grande do Sul”.

O número de suicídio de pastores é cada vez maior não apenas no Brasil, mas também no exterior.

A solidão do ministério, os problemas vividos, as cobranças, entre outras causas estão sobrecarregando os ministros.

Publicidade