Siga-nos!

Internacional

Palestina não aceitará nenhum plano de paz que não inclua Jerusalém

Detalhes sobre “acordo do século” proposto por Trump tem aparecido na imprensa

em

Riyad al-Malk (Foto: Issam Rimawi/Flash90)

A imprensa de Israel tem divulgado detalhes do suposto “acordo do século” proposto por Donald Trump para resolver o conflito entre israelenses e palestinos.

Contudo, o ministro das Relações Exteriores da Palestina, Riyad al-Maliki, está avisando que seu país não aceitará qualquer opção que não inclua Jerusalém Oriental como capital de um futuro Estado.

Todos os contatos dos palestinos com Washington permanecem suspensos, após o presidente norte-americano ter anunciado o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel.

“Os palestinos não estão prontos para discutir qualquer plano que não inclua um Estado palestino independente baseado nas fronteiras de 1967, com Jerusalém Oriental como sua capital”, declarou o chanceler ao Asharq Al-Awsat.

O governo dos EUA vem negando que os dados vazados sejam do acordo, mas a posição de Maliki é que a Autoridade Palestina não está interessada.

“Se os americanos acreditam que ofertas econômicas podem tentar os palestinos a abandonar Jerusalém, estão enganados”, destacou.

A posição da Autoridade Palestina é que os Estados Unidos voltem a respeitar as convenções internacionais quanto à cidade sagrada e a “uma solução para dois Estados”.

A expectativa é que Jared Kushner, genro de Trump e encarregado das negociações, apresente os termos do acordo “nas próximas semanas”.

Publicidade