Siga-nos!

Política

Como os deputados evangélicos do Paraná usaram a cota parlamentar

Toninho Wandscheer (PROS), ligado a Assembleia de Deus, é o mais gastador.

em

Toninho Wandscheer, Aroldo Martins e Felipe Francischini. (Foto: Montagem / Câmara dos Deputados)

A Cota para Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP) foi criada em 2009 e custeia as despesas de mandato, como passagens aéreas e conta de celular.

O valor do chamado “Cotão” muda de acordo com o Estado de origem deputado, pois leva em consideração o preço das passagens aéreas de Brasília até a capital do estado pelo qual o deputado foi eleito.

Com o objetivo de conscientizar os eleitores evangélicos sobre o uso da verba pública pelos integrantes da Bancada Evangélica, o Gospel Prime vem analisando os gastos por estado.

Nas últimas duas reportagens da série, analisamos os gastos dos políticos de São Paulo e Rio de Janeiro. Agora apresentamos os políticos do Paraná.

O estado possui apenas três parlamentares evangélicos, mas é possível notar a diferença de economia entre cada um deles, sendo que o maior gastador é o Toninho Wandscheer (PROS), ligado a Assembleia de Deus.

Toninho gastou R$ 245.418,96, o que representa 99,99% da cota parlamentar. O mais surpreendente é que o maior gasto do político é com a “Divulgação da Atividade Parlamentar“, segundo o site da Câmara dos Deputados.

O paranaense gastou R$ 86.000,00 (35,04%) com essa atividade.

O segundo gasto com maior volume do parlamentar, conforme dados divulgados, foi com “Manutenção de Escritório de Apoio à Atividade Parlamentar”, gastando R$ 40.993,93 (16,70%).

Com “Emissão Bilhete Aéreo”, foram gastos R$ 37.845,87 (15,42%) pelo deputado Toninho Wandscheer.

Aroldo Martins (PRB), ligado a Igreja Universal do Reino de Deus, gastou R$ 190.430,50, um gasto de 81,64% da cota disponível.

O maior gasto do político foi com “Manutenção de Escritório de Apoio à Atividade Parlamentar”, totalizando R$ 56.453,71 (29,64%), seguido da “Divulgação da Atividade Parlamentar”, com um gasto de R$ 35.600,00 (18,69%).

Já o terceiro parlamentar evangélico do Paraná gastou R$ 169.711,80,  o que representa 72,77% do valor que tem direito.

Trata-se do deputado Felipe Francischini (PSL), ligado a Assembleia de Deus, cujo maior gasto foi com “Consultorias Pesquisas e Trabalhos Técnicos”, um valor de R$ 60.000,00 (35,35%).

Confira:

  1. Toninho Wandscheer (PROS – Assembleia de Deus): R$ 245.418,96;
  2. Aroldo Martins (PRB – Universal do Reino de Deus): R$ 190.430,50;
  3. Felipe Francischini (PSL – Assembleia de Deus): R$ 169.711,80;
Publicidade