Siga-nos!

Judeus ortodoxos queimam templo cristão em Israel

Igreja da Multiplicação foi incendiada esta semana

em

Um incêndio na quarta-feira à noite danificou a igreja histórica da Multiplicação dos Pães e Peixes no Tabgha, localizada no Mar da Galileia, norte de Israel. Dezesseis alunos de uma yeshiva (escola rabínica ortodoxa) foram presos acusados de serem autores do incêndio criminoso.

Uma pichação foi encontrada no local. A frase era: “os ídolos falsos serão destruídos.” O depósito da igreja e parte dos escritórios ficaram danificados. Uma sala de oração sofreu danos leves devido à fumaça.

Autoridades disseram que duas pessoas ficaram levemente feridas por causa da inalação de fumaça, mas o fogo está completamente contido.

Pichação na Igreja da Multiplicação

“Os ídolos falsos serão destruídos.”

As investigações apontam para incêndio criminoso. Os jovens que foram detidos são moradores da Cisjordânia. Eles estão sendo defendidos legalmente pela conhecida organização Honenu. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu ordenou que o órgão de segurança Shin Bet acelere a investigação sobre o incidente.

“O chocante incêndio de uma igreja é um ataque contra todos nós”, disse Netanyahu. “A liberdade de culto em Israel é uma das pedras fundamentais dos nossos valores, sendo algo protegido por lei. O ódio e a intolerância não têm lugar na nossa sociedade”, afirmou.

O ministro da Segurança Pública Gilad Erdan denunciou o ataque como um “ato de covardia”. Ele afirmou que a polícia está fazendo da investigação deste incidente uma prioridade: “Não vamos deixar que ninguém perturbe a coexistência entre religiões e etnias em Israel. Prejudicar o princípio da tolerância entre as religiões é um golpe contra os valores mais importantes em Israel, e nossa tolerância será zero para atos como este”.

O local pertence à Igreja Católica em Israel, sendo visitado anualmente por milhares de turistas. É um local histórico na tradição cristã.

Um dos administradores do templo afirmou que este ataque é uma continuação das agressões que os lugares de culto cristão vêm recebendo ao longo dos últimos anos. Para o padre, as autoridades israelenses não conseguiram lidar satisfatoriamente com o problema.

Recentemente, um cemitério cristão na cidade de Kufr Birim foi atacado e vários de seus túmulos foram depredados. O incêndio na igreja é o sétimo ataque contra locais cristãos  desde 2006.

Segundo a tradição, a igreja foi erguida no local onde Jesus alimentou uma multidão com pães e peixes milagrosamente multiplicados. Conhecida como Tabhga, o local possui mosaicos famosos.

O rabino Yitzhak Yosef, uma das maiores autoridades judaicas do país, comentou: “Os comportamentos como este incêndio na igreja devem ser condenados e punidos severamente”. Afirmou que todos os judeus são proibidos de ter este tipo de atitude: “O judaísmo sempre teve o orgulho de ser uma luz para as nações e não, Deus nos livre, o oposto.” Com informações de Haaretz