Siga-nos!

estudos bíblicos

O que é oferta pacífica na Bíblia?

Estudo bíblico sobre as ofertas pacíficas oferecidas no Antigo Testamento e sua ligação e aplicação para os cristãos nos dias atuais.

Tiago Rosas

em

Altar dos sacrifícios no Templo de Salomão (Reprodução)

As ofertas de paz (hb. shelem) regulamentadas na Lei de Moisés, bem como a aplicação prática deste tema para nós cristãos, especialmente por uma perspectiva cristológica.

A excelência da oferta pacífica

Segundo a Bíblia de Estudo Pentecostal, o sacrifício pacífico era efetuado diante de Deus, no sentido do ofertante ter comunhão com Ele, expressar gratidão (Lv 7.11-15; 22.29) ou fazer um voto (7.16). Para o ofertante, envolvia um compromisso com o concerto (a Lei) e celebrava a paz e a reconciliação entre Deus e o adorador. [1]

O que eram estes sacrifícios?

As ofertas pacíficas ou sacrifícios pacíficos eram voluntários sacrifícios de sangue oferecidos a Deus (Lv 3.1,2). Diferentemente do holocausto que era totalmente queimado, nas ofertas de paz uma parte do sacrifício era comida pelo sacerdote (representando a aceitação de Deus) e a outra era comida pelos adoradores e seus convidados (sacerdotes não-oficiantes ou levitas e os pobres – Dt 12.18; 16.11).

Assim, como bem destacado pelo Dicionário Ilustrado da Bíblia [2], estas ofertas constituíam um grande e alegre banquete de comunhão no qual Deus era o anfitrião. Estes sacrifícios celebravam a cobertura do pecado, o perdão de Deus e a restauração de um relacionamento correto e significativo com Deus e a própria vida (Jz 20.26; 21.4)

Quais eram os tipos de ofertas pacíficas?

Havia três tipos de ofertas pacíficas:

  1. Ações de graças, que expressavam gratidão por uma benção recebida ainda que não solicitada. Neste caso, os judeus não ofereciam a Deus petições, mas orações, louvores e sacrifícios de gratidão pelo favor já recebido. O sangue animal, que sempre seria aspergido (Lv 7.14) e a carne do animal a ser comida eram sempre presentes nesses sacrifícios pacíficos, mas aqui destacam-se a presença de “bolos sem fermento e amassados com óleo, pães finos sem fermento e untados com óleo” (Lv 7.12, NVI).
  2. Votos, associados a uma promessa ou pedido feito a Deus e atendido. Não deixava de ser uma oferta de gratidão, mas enquanto na oferta de ações de graças a benção que se agradecia não fora pedida, mas dada espontaneamente pelo Senhor, na oferta como pagamento de voto, a gratidão era em virtude de uma oração respondida positivamente.
  3. Ofertas movidas, era a porção do sacrifício pacífico que pertencia aos sacerdotes. Era literalmente movida em direção ao santuário como sinal de sua dedicação a Deus e, a seguir, movida em direção ao ofertante ou sacerdote, indicando que o Senhor agora punha a dita oferta à disposição dele.

Qual o significado espiritual para a Igreja?

Por uma perspectiva tipológica, essas ofertas prenunciavam a paz e a comunhão que o crente tem com Deus e com os irmãos na , tendo por base a morte de Cristo na cruz (Cl 1.20; 1Jo 1.3). Prenunciavam ainda a nossa plena comunhão quando todos nos assentarmos com Deus no seu reino vindouro (Sl 22.26; Lc 14.15; Ap 19.6-10).

Anterior1 de 3
Use ← → (setas) para ler mais

Casado, bacharel em teologia (Livre), evangelista da igreja Assembleia de Deus em Campina Grande-PB, administrador da página EBD Inteligente no Facebook e autor de quatro livros.

Trending