Siga-nos!

Opinião

O uso das redes sociais e a observância da Bíblia

É importante aprendermos a usar de maneira correta as novas ferramentas.

Abner Ferreira

em

Redes Sociais
Redes Sociais. (Photo by Benjamin Sow on Unsplash)

As redes sociais se tornaram um fenômeno em nossos tempos. Bilhões de pessoas em todo o mundo se conectam através delas. Informações, conteúdos, ideias e conhecimentos são compartilhados diariamente.

De modo geral, podemos dizer que essas ferramentas digitais trazem muitos benefícios para a humanidade. No entanto, ainda estamos aprendendo a nos conectar através delas, o que tem gerado muito prejuízo para algumas áreas.

Pesquisa desenvolvida pela Fundação Telefônica Vivo – já abordada em artigo anterior – revela que 60% dos jovens sentem que a ansiedade aumentou com o uso das redes. É um número relevante.

A cada 10 jovens com idade entre 15 e 29 anos, seis deles estão sendo afetados de forma negativa por essas ferramentas. Segundo a pesquisa, 80% deles criam ou postam algum tipo de conteúdo nestas redes.

Pois bem! O ambiente digital pode ser altamente produtivo, como já disse anteriormente, mas o uso inadequado das mídias têm causado muitos malefícios. Um deles é a alteração na maneira como nos comunicamos.

Atualmente vivemos uma crise nas relações interpessoais. Poucos ainda cultivam os bons relacionamentos com amigos e familiares. Muitos colecionam milhões de “amigos” virtuais, mas não tem boas relações físicas.

Nada contra buscar ser um forte influenciador digital. Eu mesmo tenho quase meio milhão de irmãos, em redes sociais e aplicações, que acompanham nosso ministério. Porém valorizo muito o “cara a cara”, o “olho no olho”.

Sem essa relação física e pessoal, não é possível adquirir empatia. Nas redes sociais as pessoas podem passar a sensação de que vivem uma vida perfeita, o que não existe. Neste mundo todos passaremos por aflições.

Ter empatia é o mesmo que se compadecer pelas pessoas. É sofrer com os que sofrem. Ter uma relação de verdadeira preocupação e disposição para com as outras pessoas. No ambiente virtual isso não é plenamente possível.

Agostinho disse que “no amor do próximo o pobre é rico, mas sem o amor do próximo o rico é pobre”. Portanto, é muito importante que tenhamos uma relação com as pessoas que possibilite conhecer suas mazelas.

Além disso, a enorme quantidade de conteúdos compartilhados pode desvirtuar os verdadeiros valores que precisamos cultivar. O excesso de opiniões, sem a qualificação necessária, não trará bons resultados.

Existe também a sua relação com essas mídias. Como cristãos, precisamos servir de bons testemunhos no ambiente virtual, mas há muitas pessoas que tem utilizado as ferramentas de forma errada.

Ao invés de se resguardar, muitas pessoas se expõem de forma excessiva na Internet. Acabam revelando suas fraquezas, defeitos e servindo de escândalo. O que a Bíblia diz a respeito disso? “Ai daquele por quem vier o escândalo”, diz Mateus 18.7.

Você pode se perguntar: então devo abandonar as redes sociais? Meu conselho é que você aprenda a usar com cautela. Faça destas ferramentas uma forma de evangelização e bom testemunho sobre como Deus age em sua vida.

As redes sociais devem servir para que o mundo veja o seu testemunho de fé. Sempre com toda a cautela. Acredito que bons conteúdos possam servir para edificar outras vidas. Portanto é preciso discernimento.

Por fim, reitero a importância de haver equilíbrio no uso das redes sociais. Como está escrito: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas” (1 Coríntios 6.12).

Cristão, advogado, esposo, escritor, discípulo e Presidente da Assembleia de Deus em Madureira.

Publicidade