Siga-nos!

Estudos Bíblicos

O que é desbibliamento?

“Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos.”

Avatar

em

Publicidade

Graça e paz irmãos,

Nós somos um CORPO. Não existe cristão desigrejado, o que existe é cristão “desbibliado”.

“Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também.
Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.
Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos.” 1 Coríntios 12:4-14

Leia mais...

Publicidade

Boa leitura!
Ao longo do tempo, temos ensinado sobre o Reino de Deus, sobre a cultura de Cristo, para fazer o que “Ele” pensa e o que “Ele determinou” à igreja! Porque Dele, por Ele, e para Ele são todas as coisas.

Temos levado os cristãos a interpretarem através da Bíblia, e não através de rasa opinião, ou alguns blogs ou sermões viciados, que esse reino eterno não é exclusividade de um ministério local, como se equivocaram muitos dos cristãos religiosos de atos e de nosso tempo também, e que ainda não mudaram para a Mente de Cristo. Não compreender o que Cristo fez e ordenou para este tempo, a isto podemos chamar de “desbibliamento.”

Perdidos na Igreja

Há mais gente desigrejada dentro de uma membresia de um prédio-igreja do que fora dela. O desigrejamento e o desbibliamento tem paralisado o Corpo de Cristo para desenvolver a verdadeira missão da igreja do tempo da graça por causa do saudosismo aos rituais irrelevantes do Templo ou por causa do mundo das ideias (sem Deus). Não estamos mais no tempo da Lei, por isso, perder tempo com os velhos rituais, é uma corrida atrás do vento, um desvio do Plano, uma desconstrução do reino, e um retrocesso.  O Cristão pode ser membro de um certo grupo, mas pode estar involuntariamente desviado do Verdadeiro Evangelho.
Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido;
2 Coríntios 3:14
Também injetaram na mente do povo que servir a Cristo é ser membro exclusivo de uma única igreja. É claro que isso não tem base teológica. Mas, essa cultura do exclusivismo ou do partidarismo religioso tem sido muito forte na igreja brasileira há centenas de anos. O nome desse pecado, que o apóstolo falou aos Galátas 5:19, chama-se facção.

Publicidade

A Bíblia é uma bússola que nunca erra. O cristão que não acompanha as Escrituras, esse cristão ou essa igreja está fora do tempo de Cristo ou perdido no espaço. O diagnóstico poderá ser de “dengue religiosa”, aquela que se dá em águas paradas, mas o reino eterno é dinâmico. Os cristãos da Bíblia também andaram em pecado distante de Cristo, defendo as suas demonizações. Mas, o Apóstolo Paulo combate este tipo de pecado na igreja de Coríntios.  Para saber mais sobre esse parte, clique aqui > http://estudosbiblicos.gospelprime.com.br/esta-cristo-dividido/

Somos um Corpo, o Corpo de Cristo.

Somos um corpo, o Corpo de Cristo. Não somos só um prédio ou como chamam – “igreja”. Essa cultura de facção na igreja brasileira é centenária, e vem da tradição, não da Bíblia (I Cor. 1:13).  Os cristãos foram equivocadamente ensinados a acharem que o reino de Deus se limitava a sua ‘igreja’, mas é apenas um mito. Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também. Paulo estava ensinando aos coríntios que o serviço cristão está além de quatro paredes, para ser confundido com o reino isolado. Se o cristão deseja mesmo diminuir para que Cristo cresça, é necessário sair das cavernas institucionais.

Publicidade

O apóstolo ensinava que somos um Corpo. Nesse sentido, ocorre que temos a garantia de nunca nos tornamos desigrejados. Nada pode nos separar de Cristo. Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor. (Romanos 8:39)

O que o ocorre, porém, é a falta de conhecimento do povo, por dois fatores ao menos: ignorância ou alienação. Ambas desencadeiam o desbibliamento. As duas coisas unidas ou isoladamente podem causar danos substantivos à vida espiritual ou emocional do cristão. Gente que não confere na Bíblia está desbibliada, e pode estar desviada do evangelho mesmo sendo um “cliente” assíduo dos cultos. E não importava se a igreja é da tradição histórica ou da tradição em células.

A ignorância, na prática, e não pelo conceito, empiricamente, se dá pelo fato de não se conhecer algo sobre a vida, sua compreensão e motivação. Por isso tudo é novo, tudo era mistério,  tudo era “verdade”, e praticava-se muitos atos religiosos de bom coração, mas com a motivação errada. Um erro que desencadeava outros erros sobre o propósito de Deus. A ignorância nos faz lembrar de Chicó e João Grilo, protagonistas fabulosos de um excelente filme de comédia do cinema nacional. João Grilo se “conformava” com a constante explicação de Chicó – “Sei não, só sei que foi assim…”

Já na alienação, esta é decorrente do desejo de ser blindado dos fatos, omisso ou se isolar de outros pontos de vista ou cosmovisão. O alienado religioso, vive em seu muro de desinteresse por mais coisas da vida, vive no “mundo da lua”. Esse grupo é religiosamente treinado para rejeitar tudo o que é novo. Em muitos casos a alienação leva o povo a deixar de conhecer o globo, o universo das coisas, os fatos, as notícias e acontecimentos externos, etc. Um isolamento mental muito praticado no socialismo (comunismo). E, remonta, também, um filme chamado “The Village”.

Publicidade

O fanatismo denominacional, a atrofia da alma

Certa vez eu perguntei para um amigo fanático extremista de um clube de futebol sobre a política, eu havia perdido a notícia, e o assunto era muito importante para o mundo inteiro. Mas, a resposta que ele me deu foi que ele não sabia de nada, só acompanhava as notícias de seu time em todos os sites e canais e redes que fosse possível falar do time dele. Ao mudar de assunto para falar de futebol, de outros times, de outros clubes e campeonatos, etc. Ele disse que não sabia muito das outras coisas, dos outros times, mas que ‘o seu time” iria jogar hoje (seus olhos brilhavam).  Uma alienação que atrofia o cérebro, o espírito e os olhos para que não se enxergue nada mais a sua frente! Ele esquecia quem sem campo, sem propósito, e sem mais ninguém do outro lado, o time não tem o que fazer! De nada valeria tanta dedicação. Lembre-se: Jesus não exibia nenhuma carteirinha gospel em sua caminhada. Ele não tinha templo, nem denominação, nem CD famoso, não buscava ibope, nem nada destas coisas. Ele era a própria Torá Viva diante dos judeus, a própria Verdade diante dos pagãos, e hoje, o Verbo Vivo para a igreja revelar à humanidade.

Somos um corpo, não somos um clube de futebol

São esses comportamentos que também enxergamos no Corpo de Cristo. Infelizmente para alguns, o reino dos céus significa apenas “ele e o clube dele”, suas cores e bandeiras, excluindo imediatamente da mente tudo o que significa “mais” ou “além”. O reino de Deus é infinito. Somos um corpo, não somos um clube de futebol. Dado o apelo religioso e manipulador que vem de púlpitos de acordo com os seus times, combinado à alienação e ignorância do povo de Deus, a igreja perdeu o interesse de ser um Corpo de Cristo e se perdeu por “outros interesses”, pecando de novo sobre o conceito de amor, porque o amor não busca os seus próprios interesses. (I Cor. 13:5).

Tornar-se mestre em dogmas de uma denominação como se fosse a mensagem da Cruz, não tem significado para o propósito de Cristo. Nenhum dogma ou instituição está acima da Autoridade da Bíblia. Ela contém a resposta que a igreja não tem. Nenhum líder possui autoridade, sem Bíblia. Na Bíblia há remédio para a alma do cansado que a ciência não vai encontrar em outro lugar; Na Bíblia a história dos tempos é conhecida através de uma boa leitura. E nela também contém as verdades que confrontam os falsos ensinos que tem saído dos púlpitos. O povo precisa de rebibliamento, porém, nesse momento temos encontrado  muita gente correndo nas igrejas, mas quase todas estão desabibliadas, voando somente com uma asa, jogando apenas dentro do campo construido no seu próprio quintal, e cercado por altos muros, que eles chama de “igreja”.

Saduceus, o partido dos “sem Bíblia”.

Jesus falou aos saduceus, um grupo de religiosos intelectuais e letrados de sua época, os quais não acreditavam em ressurreição, mas que infelizmente, estavam alienados, e não perceberam que Jesus estava pregando. Jesus falou aquele grupo que eram desbibliados. (Mc. 12:24 – “Porventura não errais vós em razão de não saberdes as Escrituras nem o poder de Deus? Deus já havia falado para Moisés sobre a ressurreição: “Ele é Deus de Vivos”. Os religiosos,  ainda que a Torá Viva estivessem falando na frente deles, porque tiveram o privilégio de ver o próprio Verbo passeando entre eles, por teimosia, alienação e vício, continuaram desbibliados por vontade própria, e de “carteirinha”, os saduceus preferiram viver da ideologia de seus partidos – “Os sem Bíblia”

O que é desbibliamento?

O desbibliamento é um pecado que leva muitos cristãos ao erro. Em João 5:39, a apóstolo João, ensina que é necessário “examinar” as Escrituras. Quando não se examina o que está sendo ensinado, o cristão corre sério risco de cair nas mãos de falsos profetas.

Existem alguns sintomas de desbibliamento, tanto para dentro de igrejas antigas como as novas. São eles:

  • Acreditar cegamente nas teorias isoladas do mundo exclusivo de uma denominação, como acontece nas seitas;
  • Lutar por atingir altos níveis de conhecimento dos dogmas de uma instituição religiosa;
  • Seguir todo tipo de ensino como meninos, sem questionar absolutamente nada do que vem do líder;
  • Tornar-se um mestre em estratégias da igreja, sem nunca ter sido discípulo de Cristo;
  • Amar a bandeira da igreja sobre todas as coisas (idolatria);
  • Trancar-se religiosamente em quatro paredes, mesmo tendo conhecimento da verdade;
  • Adorar à igreja e ao líder, bispo, pastor ou apóstolo sem amar a Deus sobre todas as coisas;
  • Criar e viver alienado em seu “próprio reino”, sem conhecer o reino de Cristo, sem amar o próximo;
  • Não se comunicar com os demais cristãos ao redor; evitando crentes de outras igrejas; (preconceito)
  • Dominar a mente do povo para servir somente a monarquia do líder (heresia);
  • Trancar o povo em altos muros e isolá-los num tal de “rebanho” com medo de perder dízimos (ganância);
  • Não treinar as pessoas para serem missionárias, se toda a igreja deve pregar o evangelho. Igreja que não é missionaria está fora do Plano de Deus, e tem que nascer de novo.

A contaminação é grande

  • Viver no tempo da Lei nos cultos da igreja; valorizar rituais em vez de fazer a missão da igreja (desobediência);
  • Ter obsessão compulsiva pela liderança ou pelo altar, sem ter nascido de novo, sem “ser um altar”;
  • Depender para sempre de seu líder, sem desejar amadurecimento na fé;
  • Bajular a liderança para conseguir destaque; (apostasia=ia ou idolatria)
  • Adorar a um microfone, sem nunca ter ouvido a voz do Altíssimo; (idolatria)
  • Comportar-se de forma omissa em relação ao “Corpo de Cristo”,  isolando-se religiosamente (facção)
  • Colocar o nome do pastor acima do nome de Jesus (apostasia);
  • Entregar a vida ao lider, em vez de confiar a vida a Jesus; (apostasia, falta de amadurecimento);
  • Nunca, nunca mesmo, conferir nada na Bíblia só porque o líder falou; (risco de heresia)
  • Correr atrás do vento fazendo aquilo que Jesus não mandou fazer (desvio);
  • Isolar-se no passado, no atraso na Lei, enquanto estamos no tempo da graça (desvio)
  • Fazer tudo o que o líder mandar (alienação);
  • Manter o povo sob assédio religioso para manter o poder; (luxúria)
  • Defender o dízimo (um ritual desabilitado), mas não pregar o evangelho de Cristo;
  • Participar somente da sua comunidade, ignorando o Corpo de Cristo (facção)

Enfim, dedicar-se às outras motivações que os apóstolos de verdade (da Bíblia) não se dedicaram, a isso, JESUS chamou de “desbibliamento”. Um erro que chama outro erro. Permanecer no erro é canseira e fadiga. Os apóstolos de Atos, onde tudo começou, tiveram a oportunidade de conhecerem as profundidade do reino de eterno. Contudo, eles decidiram abrir mão do desbibliamento para se tornarem igreja, na formação de Um Corpo de Cristo em todos os lugares que houver uma alma respirando. Torne-se um discípulo assim também. Cabe ao Corpo de Cristo, hoje, nós, do tempo da graça, buscar o conhecimento de Deus para não cairmos nas armadilhas dos grandes grupos e movimentos, “os sem bíblia”, pregando coisas que não estão nas Escrituras.

Estamos vivendo dias de liberalismo teológico dos mais diversos,  e também a acelerada introdução das mais variadas formas de heresias. Muita corrupção, muitos falsos profetas levando vantagem sobre a alienação do povo humilde e de bom coração.

Não é proibido pensar na igreja

Não importa o tamanho de sua igreja, nem a fama do nome de seu pastor, LEIA A BÍBLIA e MEDITE nela para salvar a sua vida! Para se descobrir profundamente a Verdade, o Caminho e a Vida, para se conhecer de verdade as riquezas do Reino Eterno, é necessário haver, primariamente, uma descontaminação na mente, uma descontaminação religiosa. É preciso rebibliar-se, para não ser confundido. Não é proibido pensar na igreja. Se o líder estiver pregando heresias, a igreja tem o dever, sim de questionar as arbitrariedades, sobretudo, se o líder não tiver conselheiros, um reino isolado e arbitrário ou totalitarista, tipo “Pr. Hitller”.

Toda manipulação não procede de Cristo! E, se não houver reparo, quem estará em rebelião não será você porque a verdade chegou e você não será mais um desbibliado, né mesmo?! Não aceite o assédio religioso! O jugo, a escravidão mental, tudo o que prendia a mente do povo para que não enxergassem o verdadeiro reino, tudo isso foi quebrado na Cruz! Jesus fez de você um ser livre, de verdade!

Até a próxima amados.

Publicidade
Comente!
Publicidade
    Publicidade
    Publicidade

    Trending