Siga-nos!

Opinião

O próximo John Wesley pode estar num prostíbulo agora

Deus está em busca dos “de fora” assim como insiste com os “de dentro” que dormem.

Maycson Rodrigues

em

John Wesley (Foto: Guiame/Marcos Paulo Corrêa)

Não sei você, mas por diversas vezes eu não me sinto tão otimista quanto ao futuro da igreja evangélica brasileira. O estado em relação ao descompromisso teológico, a pregação vazia e a falta de um discipulado bíblico são lamentáveis.

No entanto, basta um olhar para a Escritura e também para a história da igreja que veremos que estou equivocado em meu sentimento. A próxima geração de evangélicos não está perdida. Há esperança para a igreja do Senhor Jesus no Brasil.

Só que, talvez, os líderes da próxima geração não venham do contexto evangélico vigente. Muito provavelmente, ainda são incrédulos.

Você, lendo os evangelhos, imaginaria que o maior evangelista do primeiro século e quiçá da história da igreja (Paulo) seria o que mais perseguiu a igreja em suas primeiras décadas de existência? Que do grupo dos maiores opositores de Jesus (fariseus) surgiria aquele que provavelmente foi o seu maior discípulo e apóstolo?

E quem poderia imaginar que Deus levantaria um C. S. Lewis, um Charles Spurgeon? Eles eram pagãos que, uma vez salvos pela graça de Deus, tornaram-se grandes militantes da fé cristã.

Deus levantou na história gente que você jamais imaginaria que um dia pudesse padecer por amor ao Seu nome – e nada o impede de fazê-lo outra vez nesta e na próxima geração.

O próximo George Whitefield pode ser o homem que te fechou esta manhã no trânsito louco do Rio de Janeiro. O próximo Russel Shedd pode estar defendendo o ateísmo agorinha mesmo no Twitter. O próximo Jonh Wesley pode estar num prostíbulo agora. O próximo Tim Keller pode estar saindo de casa brigado com a mulher. A próxima Elizabeth Elliot pode estar agora numa passeata feminista lutando pelo direito da mulher ao aborto em qualquer estágio da gravidez.

Só que o Espírito Santo tem poder para transformar tudo isso. E eu creio que Ele deseja fazê-lo. Deus está em busca dos “de fora” assim como insiste nos “de dentro” que dormem. Para quebrar pensamentos binários e desanimados como o meu, Jesus confunde a sabedoria de muitos do Seu Corpo ao levantar e usar líderes que surgem dos lugares mais inusitados.

Aprendi com Russell D. Moore que não deveria nem pensar negativamente com relação ao avanço da igreja no mundo porque a verdade é uma só: Cristo nunca prometeu o triunfo da igreja brasileira; Ele prometeu o triunfo da igreja.

O Rei permanecerá no trono, e sua Noiva brilhará e resplandecerá ainda mais luz neste mundo de incredulidade, medo e dor. E o “quando” e o “como” são suas prerrogativas exclusivas, pois certamente corações soberbos serão, no caminho, tornados humildes e pessoas violentas, intolerantes ou avessas ao evangelho serão refeitas espiritualmente para que a edificação divina seja estabelecida nos próximos anos.

Então fique tranquilo. É exatamente isso que eu digo agora à minha alma.

E sejamos educados, respeitosos e empáticos com aquele cheio de espinha no rosto que nos xingou no estacionamento do New York City Center. É bem possível que seja ele a discipular os nossos filhos e evangelizar os nossos netos.

Casado com Ana Talita, seminarista e colunista no site Gospel Prime. É pregador do evangelho, palestrante para família e casais, compositor, escritor, músico, serve no ministério dos adolescentes e dos homens da Betânia Igreja Batista (Sulacap - RJ) e no ministério paraeclesiástico chamado Entre Jovens. Em 2016, publicou um livro intitulado “Aos maridos: princípios do casamento para quem deseja ouvir”.

Publicidade