Siga-nos!

Política

“Não ultrapassamos a linha ética”, diz Deltan durante encontro com Dodge

Procuradora-Geral da República manifestou apoio a Operação Lava Jato.

Michael Caceres

em

Raquel Dodge em reunião com procuradores. (Foto: Zeca Ribeiro/Secom/PGR/Divulgação)

Durante reunião de cerca de três horas com a procuradora-geral Raquel Dodge, chefe do Ministério Público Federal, o coordenador da Operação Lava Jato no Paraná, Deltan Dallagnol, afirmou que os procuradores nunca ultrapassaram a “linha ética” na condução das investigações conduzidas pela força-tarefa em Curitiba.

A reunião foi convocada para tratar sobre os vazamentos de mensagens pessoais dos procuradores com o ex-juiz e atual ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, obtidas através de um ataque hacker contra os celulares das autoridades e divulgadas pelo site The Intercept e outros órgãos de imprensa.

Para o procurador existe uma tentativa evidente de enfraquecer a operação e atingir as autoridades envolvidas no combate à corrupção. “Temos tranquilidade em relação ao que fizemos. Não ultrapassamos a linha ética. Somos um grupo grande que sempre decidiu em conjunto. Sucessivas pessoas passaram por lá, a atuação era técnica e legítima”, afirmou, segundo Veja.

Alvo da velha tática de “destruição de reputações”, Deltan tem visto mensagens trocadas no aplicativo Telegram com a esposa sendo expostos. Apesar de não haver nada que comprometa o trabalho do procurador, o The Intercept afirma que ele recebia cooperação do ex-juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável por mandar prender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em nota emitida após o encontro com os procuradores, Raquel Dodge emitiu nota onde afirma que “o apoio institucional, financeiro e de pessoal ao combate à corrupção e ao crime organizado, para que a força-tarefa da Lava Jato cumpra com integridade seus objetivos, continuará, permitindo que o patrimônio público seja preservado e a honestidade dos administradores prevalecerá”.

Publicidade