Siga-nos!

Opinião

Não tenha a mentalidade do Coringa

Apesar de ser um criminoso, o problema não está nele, mas, sim, no fato dele ter sido rejeitado e atacado pelos outros ao longo da sua história.

Leandro Bueno

em

Coringa. (Foto: Reprodução / Youtube)

Neste final de semana, estava ouvindo um pastor falando de algo que nunca tinha me dado conta: Muitas vezes Jesus se encontrava com pessoas passando os mais diversos males, sendo que muitos  destes males eram um tanto auto-evidentes, só de olhar para as pessoas, Jesus tinha plenas condições de saber o que aquelas pessoas estavam precisando.

Porém, em muitas destas ocasiões, antes de realizar um milagre ou trazer uma mensagem impactante, Jesus perguntava o que aquelas pessoas queriam que  Ele concretamente fizesse. Ou seja, perguntas que, em um primeiro momento, parecia sem sentido.

Ocorre que essa atitude de Jesus tinha uma finalidade clara que era despertá-las para suas responsabilidades pessoais, lembrar quem eram elas.

Ou seja, isso é exatamente o contrário da mentalidade que vemos hoje em dia no mundo. Como o narcisismo está em alta, a tendência clara é das pessoas entenderem que não têm nada de ruim, o problema está sempre no “outro”, no “mundo”, no que o sistema fez com a pessoa.

Esta é a perigosíssima ideologia que vemos no filme do Coringa. Apesar dele ser um criminoso, o problema não está nele, mas, sim, no fato dele ter sido rejeitado e atacado pelos outros ao longo da sua história. Os crimes seriam uma espécie de reflexo dos ressentimentos e mágoas que o sistema causou na alma dele, o que gerou niilismo.

Ocorre que essa visão, que modernamente nos foi trazida com maior destaque pelo filósofo Rousseau, mostra-se anti-bíblica, já que ela parte de uma premissa equivocada de achar que nascemos puros e a vida é que vai desconstruindo nossa moralidade, fazendo com que o mal vá pouco a pouco comendo nossa alma.

Assim, se nascemos puros, qual foi a obra da Cruz? Para que existe a redenção? A necessidade de arrependimento de pecados? Isso, para o mundo moderno é como se fosse coisa de fraco, de gente que não sabe andar pelas próprias pernas.

Diferentemente, a Bíblia mostra que nascemos com o mal já instalado no nosso coração, em face da nossa herança adâmica, picados pelo pecado original e que, pela fé, podemos ser  justificados.

Agora, se pensamos que não temos nada de errado, passamos a viver no cinismo, como ocorre com o Coringa. Podemos cometer as maiores barbaridades, ofender as pessoas e acharemos isso até normal.

Quem é adulto, saber lidar e suportar as suas dores interiores e reconhecer o que fez ou deixou de fazer em sua vida.

Não fica colocando a culpa no governo, na família que teve, na igreja, em Deus, na sua condição financeira, etc.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE