Siga-nos!

Sociedade

MP denuncia advogado por sugerir que Damares deveria ser estuprada

Ministra respondeu dizendo que não tem medo nem de bandido, nem de advogado

em

Damares Alves. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) acolheu representação criminal contra o advogado e militante político José Renato Andrade por sugerir que a ministra Damares Alves deveria ser estuprada por 15 homens em uma cela por 24h.

A ação foi protocolada pelo engenheiro Victor Oliveira e produzida pelo advogado Luis Donizetti Luppi, e para o promotor de Justiça Mario José Corrêa de Paula, há evidências de que as declarações do militante de esquerda transgrediram o artigo 286 do Código Penal.

Um áudio do advogado foi compartilhado pelo WhatsApp fazendo críticas contra a ministra da Mulher, da Família e Direitos Humanos. Ele sugeriu o estupro coletivo para “sossegar” as partes íntimas de Damares, que é uma senhora divorciada e evangélica.

Além disso, o homem chamou a ministra de nomes como “vaca”, “ameba”, “ordinária” e “psicopata”, falando contra os evangélicos também.

Ao comentar o caso em suas redes sociais, Damares Alves denunciou a violência política que ela sofre por pensar diferente.

“Conseguem imaginar que no Brasil, em pleno 2020 ainda tem homens que desejam e incitam estupros contra mulheres só por elas pensarem diferentes deles? O que tenho sido atacada por homens loucos que destilam ódio a mulheres já passou do limites”.

Ela prometeu enfrentar a violência contra mulher e se colocou à frente da luta para criar uma “nação fraterna onde as pessoas se respeitem”.

Por fim, a ministra afirmou não temer. “O tal advogado famoso me aguarde! Não tenho medo de bandido quanto mais de advogado de bandidos”.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE