Siga-nos!

Internacional

MP de Portugal arquiva inquérito que investigava supostas adoções ilegais na IURD

Acusações foram feitas por um ex-bispo da igreja.

Avatar

em

Reportagem TVI
Reportagem TVI. (Foto: Reprodução / TVI)
Publicidade

O inquérito que investigava supostas adoções ilegais por bispos da Igreja Universal do Reino de Deus foi arquivado pelo Ministério Público de Portugal.

Instaurado em 2017, o inquérito continha denúncias de adoções feitas em 1990 após uma série de reportagens exibidas pela rede de televisão TVI, de Portugal, feita com um ex-bispo da denominação.

Leia mais...

Continua depois da Publicidade

Alfredo Paulo deixou a IURD e usou a imprensa para divulgar essa e outras histórias contra a igreja. Supostos pais biológicos diziam que foram enganados por pastores e bispos da Universal para entregarem seus filhos.

Mas as informações foram desmentidas durante a investigação e o Ministério Público de Portugal arquivou o inquérito e a Procuradoria-Geral de Portugal confirmou a decisão.

“Não houve notícia de qualquer pai ou mãe biológica que tivesse junto de qualquer entidade pública apresentado queixa pelo desaparecimento de qualquer criança ou da impossibilidade de aceder a qualquer criança”, diz o juiz do caso.

IURD fala em campanha de difamação

Ao comentar o arquivamento do inquérito, a Igreja Universal do Reino de Deus acusou o canal de TV português de disseminar fake news.

Continua depois da Publicidade

“O que muito impressiona é uma rede de televisão com mais de 20 anos de existência acreditar em mentiras de um ex-Bispo, que responde por diversos processos e possui um histórico desonesto, e exibir uma série de Fake News, subestimando a inteligência de seus telespectadores e do judiciário do país”, diz a nota no site Universal.org.

“Entretanto, mais uma vez, acusações infundadas, partindo de um ex-Bispo, expulso da Universal por adultério e roubo, não prevaleceram à verdade. Mais uma vez a justiça desmentiu Alfredo Paulo e seus aliados que, movidos pela intolerância e desejo de manchar a imagem da Universal, se prestaram a uma atitude questionável, criminosa e mentirosa”, completou o texto.

Publicidade