Siga-nos!

Sociedade

Morre Vincent Lambert, francês que virou símbolo do debate sobre a eutanásia

Pais eram contra que os aparelhos fossem desligados, já a esposa garantia que o paciente preferia morrer do que ficar em estado vegetativo.

em

Vincent Lambert. (Foto: Reprodução)

Morreu nesta quinta-feira (11) o francês Vincent Lambert, que se tornou símbolo do debate sobre a eutanásia por estar tetraplégico em estado vegetativo. Foram quase 11 anos nesta situação, até que há poucos dias os médicos resolveram suspender o tratamento que o mantinha com vida.

Vincent sofreu um acidente de carro em 2008, quando tinha 32 anos. Por conta da gravidade, ele ficou tetraplégico e em estado vegetativo. Em 2011, os médicos descartaram qualquer possibilidade de melhora e em 2014 sua condição foi classificada como vegetativa.

Seus pais, católicos, lutavam para mantê-lo vivo, enquanto que sua esposa, Rachel Lambert, que era sua responsável legal, queria que os aparelhos fossem desligados.

A batalha judicial chegou até a Corte de Cassação que ordenou aos médicos que fizessem a retirada do tratamento e assim foi feito.

O sobrinho Vicent, François Lambert, confirmou que o falecimento aconteceu às 8h24 desta quinta. “Alívio após anos de sofrimento para todo mundo. Estávamos preparados para deixar que partisse”, declarou.

Em entrevista à AFP, Jean Paillot, um dos advogados dos pais de Vincent, Viviane e Pierre Lambert, confirmou a informação e disse que chegou o momento do “recolhimento”.

David Philippon, meio-irmão do paciente e contrário à interrupção do tratamento, lamentou a morte ao ser procurado pela AFP. “Anunciamos com o coração partido que Deus acolheu nosso amado Vincent”.

Publicidade